lista alfabética
  busca
Enciclopédia Itaú Cultural de Artes Visuais
 
       
 
obras
biografia
histórico
acervos
textos críticos
fontes de pesquisa



  Exposições
coletivas
póstumas



  sugestões

  Taunay, Félix (1795 - 1881)        

Nascimento/Morte

1795 - Montmorency (França) - 1º de março

1881 - Rio de Janeiro RJ - 10 de abril

Vida Familiar

Filho de Nicolas Antoine Taunay (1755 - 1830), sobrinho de Auguste-Marie Taunay (1768 - 1824) e irmão de Adrien Taunay (1803 - 1828)

Cronologia

Pintor, professor, escritor, poeta, tradutor, professor  

 

s.d. - Inicia-se no campo das artes com o pai

s.d. - Escreve as obras Les idyl les brésiliennes, L'astronomie du jeune âge e La bataille de Poitiers (poesia), entre outras 

s.d. - Traduz para o francês as Odes de Píndaro e as Sátiras de Persio, além do livro Inocência, do escritor Alfredo D'Escragnolle Taunay (1843 - 1899), seu filho. Traduz para o português, com fins didáticos, os escritos Ensaios sobre a fisiologia das paixões da Charles Lebrun e Anatomia pitoresca, de Tortebat

s.d. - Recebe do Império o título de Segundo Barão de Taunay

1816/1881 - Vem ao Brasil acompanhando o pai como integrante da Missão Artística Francesa, chefiada por Joachin Lebreton

1818 - Participa, com o arquiteto Grandjean de Montigny (1776 - 1850), dos projetos de saneamento e de urbanização da cidade do Rio de Janeiro

1821/1851 - Quando Nicolas Taunay retorna à França, Félix o sucede na cadeira de pintura de paisagem da Escola Real de Ciências, Artes e Ofícios, futura Academia Imperial de Belas Artes - Aiba; em 1851 é substituído por August Müller (1815 - ca.1883)

ca.1821 - Executa o primeiro Panorama do Rio de Janeiro em desenhos e aquarelas que, em 1824, é desenvolvido em telas por Fréderic Guillaume Ronmy

1834/1851 - Após a morte de Henrique José da Silva (1772 - 1834), diretor da Aiba, assume a direção da instituição, sendo responsável pelo estabelecimento do ensino acadêmico segundo as normas idealizadas pelos artistas da Missão Francesa.  Durante sua gestão, são criadas as Exposições Gerais de Belas Artes, em 1840, nas quais se oferecia a outros artistas que não fossem alunos da instituição a oportunidade de participar da mostra; é organizada a pinacoteca, em 1843 e instituídos os prêmios de viagem ao exterior em 1845

1835 - Torna-se professor de francês do príncipe dom Pedro, futuro D. Pedro II

1841 - Recebe do imperador dom Pedro II (1825 - 1891) o título de Cavaleiro da Ordem de Cristo

1849 - Inclui a cadeira de Histórria da Belas Artes no programa de ensino da Aiba

1851/1854 - Aposenta-se da cadeira de pintura de paisagem e, em 1854, é substituído na direção da Aiba por Manuel de Araújo Porto-Alegre (1806 - 1879)

1981 - A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos lança selo em homenagem ao artista,  com emissão de 300 mil unidades



Atualizado em 31/08/2011