lista alfabética
  busca
Enciclopédia Itaú Cultural de Artes Visuais
 
       
 
obras
biografia
histórico
acervos
textos críticos
fontes de pesquisa



  Exposições
coletivas
póstumas



  sugestões

  Rugendas (1802 - 1858)        

Nascimento/Morte

1802 - Augsburg (Alemanha)

1858 - Weilheim (Alemanha) - 29 de maio

Vida Familiar

Filho de Johann Lorenz Rugendas II (1775 - 1826), pintor, gravador, professor e diretor da Escola de Belas Artes de Augsburg. Pertence a uma família de artistas dos séculos XVIII e XIX

Bisneto de Georg Philipp Rugendas (1666 - 1742), grande pintor de batalhas

Cronologia

Pintor, desenhista e gravador 

 

1815 - Passa a viver na casa do pintor de batalhas e professor Albrecht Adam (1786 - 1862), em Munique, Alemanha, e freqüenta seu ateliê

1822 - É convidado pelo Barão de Langsdorff a integrar uma missão científica no Brasil como desenhista documentarista. Reside na Fazenda da Mandioca, propriedade de Langsdorff próxima à cidade do Rio de Janeiro, onde realiza estudos de plantas e animais e paisagens. Trava contato com artistas integrantes da Missão Artística Francesa, como Debret (1768 - 1848) e Nicolas Taunay (1755 - 1830) e seus filhos

1824 - Participa da Expedição Langsdorff no momento em que percorre a região de Minas Gerais. O grupo atravessa a Serra da Mantiqueira e chega a Barbacena. Visitam São João del Rei, Mariana, Ouro Preto, Caeté, Sabará e Santa Luzia entre outras localidades

1824/1825 - Após abandonar a Expedição Langsdorff, Rugendas retorna ao Rio de Janeiro passando por Mato Grosso, Bahia e Espírito Santo

1825/1828 - Volta a Europa. Vive entre Paris, França, Augsburg e Munique, Alemanha, e trabalha na preparação de seu livro ilustrado sobre o Brasil. É apresentado em Paris a Alexander von Humboldt (1769 - 1859), que se intusiasma com o trabalho do artista e o convida a ilustrar seus livros

1828/1829 - Viaja pela Itália. Em Roma vê a controvertida exposição do pintor inglês William Turner (1775 - 1851)

1829/1830 - Viaja ainda para Berlim, Alemanha e Londres, Inglaterra. Nesse período, realiza diversos quadros a óleo que têm como tema a floresta brasileira. Seus quadros e litografias sobre o Brasil inspiram ainda a criação de papéis de parede pela fábrica Zuber, em Rixheim, França

1831 - Motivado por Humbolt, Rugendas resolve começar uma grande viagem pela América Latina, com o objetivo de compor um conjunto de imagens americanas, relacionadas à flora, fauna, paisagens, costumes locais e cenas históricas dos países visitados. Em sua permanência no México faz desenhos e estudos a óleo sobre variados temas

1834 - Publica o livro Voyage Pittoresque dans le Brésil [Viagem pitoresca através do Brasil] pela Casa Engelmann, em Paris, inicialmente em fascículos ou cadernos, com cinco pranchas de 20 x 14 cm e duas folhas de texto, compondo quatro seções: vistas e paisagens; tipos humanos e sua indumentária; costumes dos índios e dos europeus e, por fim, vida e hábitos dos negros. Os cadernos foram reunidos em livro em 1835, em uma edição em alemão e outra em francês, com litografias coloridas

1834 - Viaja para o Chile onde vive por oito anos. Trava contato com intelectuais latino-americanos que residiam naquele país como o escritor argentino Domingos Faustino Sarmiento (1811 - 1888) e o editor venezuelano Andrés Bello (1781 - 1865)

1838 - Publica em Santiago do Chile , com a colaboração do editor francês Jean Baptiste Lebas, um livro com cinco litografias intitulado Álbum de Trajes Chilenos

1842/1845 - Permanece vários meses em Lima pintando retratos e vistas. Percorre diversas regiões do Peru e Bolívia e realiza vários desenhos de monumentos arqueológicos. Retorna em 1845 para Valparaíso, Chile

1845 - Parte para Buenos Aires, Argentina, e Montevidéu, Uruguai. Ao chegar no Rio de Janeiro é acolhido por Félix Taunay (1795 - 1881), que o apresenta a D. Pedro II. Realiza retratos da Família Imperial e algumas paisagens do Rio de Janeiro. Recebe o título honorífico de Cavaleiro da Ordem do Cruzeiro. Participa das Exposições Gerais de Belas Artes desse ano e de 1846, expondo vários quadros a óleo realizados durante as suas viagens pela América Latina  

1845/1855 - Inicia a realização de uma pintura monumental O desembarque de Colombo na América, da qual se conservam apenas estudos e desenhos

1846 - Passa por Salvador e Recife com destino à França

1848 - A Coroa da Baviera, Munique, Alemanha, se interesa pelo trabalho de Rugendas e adquire uma grande coleção de seus trabalhos americanos, após submetê-los a aprovação de uma comissão composta por cientistas e artistas renomados

ca. 1848 - Passa a integrar a Sociedade de Etnologia de Paris, em Munique

ca.1853 - O artista recebe do Rei da Prússia, Frederico Guilherme IV, a comenda da Águia Vermelha

1979 - O estudioso Newton Carneiro realiza importante pesquisa sobre a viagem de Rugendas pelo Brasil, publicada pela Livraria Kosmos Editora

1997 - O historiador da arte Pablo Diener organiza pela primeira vez o catálogo completo da obra do artista, intitulado Rugendas: 1802 - 1858, publicado pela Editora Wissner, Augsburg

1999/2002 - Os historiadores Pablo Diener e Maria de Fátima Costa publicam o livro A América de Rugendas (Editora Estação Liberdade; Editora Kosmos) apresentando obras e documentos relativos à viagem de Rugendas por diversos países da América Latina. Os autores lançam em 2002 o livro Rugendas e o Brasil, pela Editora Capivara

2002 - Ocorre no Memorial da América Latina a exposição Rugendas no México, com 150 pinturas do artista, com a publicação do catálogo da mostra



Atualizado em 30/10/2008