lista alfabética
busca

 
       
 
 
  biografia
cronologia
fontes de pesquisa

    espetáculos

    sugestões

 

 
Enciclopédia Itaú Cultural de Teatro
Márcio, Flávio (1945 - 1979)

Biografia

Flávio Márcio Salim (Juiz de Fora MG 1945 - São Paulo SP 1979). Autor, publicitário e jornalista mineiro. Vive em São Paulo e cria uma trilogia, tendo por tema a classe média, na qual a família é apresentada como fonte permanente de opressão.

Suas primeiras peças são: In Memoriam, 1963, e As Lesões que o Amor de Merola Deixou no Corpo de Paulo, 1967, ambas inéditas. Compõe a trilogia À Moda da Casa, 1972/1973; Reveillon, 1975; Tiro ao Alvo,1978. O que as unifica é a representação da classe média das grandes cidades brasileiras, examinada através do foco sobre o núcleo familiar, que é fotografado não apenas como permanente fonte de conflitos e irrealizações como, em especial, causador das infelicidades coletivas.

Sua primeira oportunidade profissional ocorre no Rio de Janeiro, no Grêmio Dramático Brasileiro, então sob a direção de Aderbal Freire Filho (Aderbal Júnior), grupo que centraliza o lançamento de novos autores e leva à cena Reveillon e Pequeno Dicionário da Língua Feminina, em 1974. Embora em montagens modestas, a crítica percebe e evidencia o talento do dramaturgo, contribuindo para que a atriz Regina Duarte escolha o texto e produza uma montagem em São Paulo em 1975. Flávio ganha o prêmio Associação Paulista dos Críticos de Arte, APCA, de melhor autor.

Com direção de Paulo José e cenografia de Flávio Império, essa nova encenação destaca-se e é, para Regina Duarte, um momento especialmente bem-sucedido da sua carreira teatral. Interpreta uma moça de classe média que se prostitui para sustentar a família, cujos pais fingem ignorar a proveniência do dinheiro que mantém a casa. Tiro ao Alvo, que enfoca a vida de um jovem campeão de tiro, volta ao tema da opressão familiar e termina quando o rapaz, em desespero, faz da parentela seu alvo privilegiado. Sob a direção de Ronaldo Brandão, a montagem é realizada em São Paulo, em 1979. E À Moda da Casa, primeira parte da trilogia, é levada à cena por Nelson Xavier em 1981, no Rio de Janeiro, depois da morte do autor, e enfoca uma família entregue a soturnos rituais antropofágicos.

Permanecem inéditas suas últimas criações: Um Minutinho Só, sobre uma mulher que passa trinta anos ao telefone, e O Homem do Disco Voador, que enfoca as atribulações de um bem-sucedido executivo de banco que vê sua posição social ameaçada ao contar à mulher, ao filho e aos amigos ter visto um disco voador.

Para o crítico Yan Michalski, Flávio é "fortemente influenciado por Nelson Rodrigues, amadurecendo a criação de um universo muito pessoal, um universo sombrio e sem fé, mas colorido com desenfreada fantasia e um diálogo preciso, cheio de humor cético e contundente".1

Falecido aos 34 anos, Flávio sabe ser um artista do seu tempo, ao enfocar o clima opressivo dos anos 70, detectando o núcleo familiar de formação tradicional como fonte de problemas éticos não resolvidos.

Notas

1. MICHALSKI, Yan. Flávio Márcio. In: ______. Pequena enciclopédia do teatro brasileiro contemporâneo. Rio de Janeiro, 1989.  Material inédito, elaborado em projeto para o CNPq.



Atualizado em 11/10/2007