lista alfabética
busca

 
       
 
 
  biografia
cronologia
trabalhos públicados
fontes de pesquisa

    espetáculos

    sugestões

 

 
Enciclopédia Itaú Cultural de Teatro
Zanotto, Ilka Marinho (1930)

Biografia
Ilka Marinho de Andrade Zanotto (São Paulo SP 1930). Crítica e pesquisadora. Ativa participante da militância crítica nas décadas de 1970 e 1980, Ilka Marinho Zanotto marca sua posição contra a falta de liberdade de expressão do período repressivo.

Ilka acumula diversas formações correlatas, como biblioteconomia e letras, tendo feito o curso de dramaturgia e crítica na Escola de Arte Dramática - EAD, na turma de 1961. Forma-se em crítica, em 1971, na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo - ECA/USP, paralelamente ao curso de filosofia da USP.

Torna-se crítica do jornal O Estado de S. Paulo, entre 1970 e 1996; assim como da revista Visão (1970/1979); IstoÉ (1976/1982) e TV Cultura (1972/1984), e assume, no período, a presidência da Associação Paulista dos Críticos de Teatro - APCT, entre 1972 e 1974, transformada então em Associação Paulista de Críticos de Artes - APCA. Assume também a organização e coordenação dos anuários das atividades cênicas em São Paulo. É responsável pela organização da revista Dionysos sobre a Escola de Arte Dramática - EAD, juntamente com Mariangela Alves de Lima, Maria Thereza Vargas e Nanci Fernandes.

Seus principais trabalhos publicados encontram-se nas revistas norte-americanas The Drama Review e Tulane Drama Review, além de um prefácio à peça A Serpente, nas obras completas de Nelson Rodrigues.

Analisando a sua contribuição para o teatro paulista, depõe o crítico Sábato Magaldi: "Ilka Marinho Zanotto não é apenas a excelente crítica teatral que se valeu da formação teórica e prática propiciada pela Escola de Arte Dramática e pela Escola de Comunicações e Artes, bem como da Faculdade de Filosofia da USP. Seu temperamento combativo assinalou-se nas várias entidades de que vem participando, sempre em favor da liberdade e da cultura. Seus artigos e prefácios são da maior importância para o conhecimento profundo do teatro, assinalando-se, de forma especial, na cobertura da década de 1970".1

Notas
1. MAGALDI, Sábato. Depoimento cedido a Enciclopédia Itaú Cultural Teatro. São Paulo, janeiro de 2003.



Atualizado em 21/09/2009