logo
nomes vida literária termos e conceitos vídeos obras busca
 
  lista alfabética
busca
       
  biografia
  cronologia
  bibliografia

  primeiras edições

  sugestões
 
Candido, Antonio (1918)

Biografia
Antonio Candido de Mello e Souza (Rio de Janeiro RJ 1918). Escritor, crítico literário, sociólogo e professor. Durante a infância, não freqüenta a escola primária, educado em casa, toma as primeiras lições com a mãe. Muda-se ainda criança para Poços de Caldas, Minas Gerais, cidade de sua família. Conclui o ensino secundário em 1935, no Ginásio Estadual de São João da Boa Vista, no interior de São Paulo. Faz o curso complementar no Colégio Universitário da Universidade de São Paulo - USP, entre 1937 e 1938. Milita contra o Estado Novo, no governo de Getúlio Vargas (1882 - 1954), em grupos clandestinos como o Grupo Radical de Ação Popular. Em 1939, ingressa no curso de direito da Faculdade de Direito do Largo São Francisco e de ciências sociais e filosofia da USP. Dois anos mais tarde, estréia como crítico literário na revista Clima, fundada em 1941 por ele, o crítico de teatro Décio de Almeida Prado (1917 - 2000), o crítico de cinema Paulo Emílio Salles Gomes (1916 - 1977), a ensaísta Gilda de Mello e Souza (1919 - 2005), entre outros. Abandona o direito no quinto ano, e conclui bacharelado e licenciatura em filosofia, em 1942. Nesse ano, torna-se docente da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências - FFLC/USP como assistente de sociologia do professor Fernando de Azevedo (1894 - 1974). É aprovado em concurso de literatura brasileira com o título de livre-docente em 1945, e obtém a titulação de doutor em ciências sociais, em 1954, com a tese Os Parceiros do Rio Bonito, publicada em 1964. De 1958 a 1960, leciona literatura brasileira na Faculdade de Filosofia de Assis, São Paulo. Lançada em 1959, sua obra mais influente e polêmica é a Formação da Literatura Brasileira, na qual estuda os momentos decisivos da formação do sistema literário brasileiro. Candido escreve no capítulo "Traços gerais": 'O momento decisivo em que as manifestações literárias vão adquirir, no Brasil, características orgânicas de um sistema é marcado por três correntes principais de gosto e pensamento: o neoclassicismo, a ilustração, o arcadismo' (Formação da Literatura Brasileira, v. 1, p. 41, Itatiaia, 7ª edição, 1993). De volta à USP, em 1961, assume como professor colaborador a disciplina de teoria literária e literatura comparada. Entre 1964 e 1966, dá aulas de literatura brasileira na Universidade de Paris e, em 1968, atua como professor visitante de literatura brasileira e comparada na Universidade de Yale, Estados Unidos. Aposenta-se pela USP, em 1978, mas permanece ligado à pós-graduação e à orientação de trabalhos acadêmicos. Com outros intelectuais, como Sérgio Buarque de Holanda (1902 - 1982), participa da fundação do Partido dos Trabalhadores - PT, em 1980. Recebe, em 1998, o Prêmio Camões, dos governos do Brasil e de Portugal, em Lisboa; e em 2005, o Prêmio Internacional Alfonso Reyes, no México.



Atualizado em 13/07/2009