lista alfabética
busca

 
       
 
 
  histórico
  ficha técnica
  fontes de pesquisa

    sugestões

 

 
Enciclopédia Itaú Cultural de Teatro
Bailei na Curva
1/ 10/ 1983 - Porto Alegre/RS
Teatro do Ipe

Histórico
O espetáculo, com roteiro do diretor Júlio Conte, desenvolvido pelo elenco do Grupo Jeito que Dá, mostra a trajetória de sete crianças, com ênfase nos desdobramentos do golpe militar de 1964 na vida de cada uma delas até o início dos anos 1980.

Depois da primeira montagem do Grupo do Jeito que Dá, Não Pensa Muito que Dói, em 1982,  Bailei na Curva reúne, no ano seguinte, um coletivo de atores formados, em sua maioria, pelo Departamento de Arte Dramática da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - DAD/UFRGS. A encenação é simples: no palco nu, usando apenas cadeiras, o elenco compõe cenas do cotidiano dos personagens. A vida familiar, a escola, os relacionamentos amorosos e o ambiente político são revelados com humor, mas reconstruindo criticamente a história de décadas de silêncio.

Para Fernando Peixoto, "teatro-testemunho é geralmente chato e pesado, texto coletivo é geralmente esquemático e simplificado, grupo de jovens que partem para a materialização cênica de experiências pessoais é freqüentemente ingênuo e limitado enquanto confronto com a realidade objetiva. Bailei na Curva é o contrário: uma experiência de escrita cênica que impressiona pelo humor e pela agilidade vital e dinâmica, recusando modelos simplificadores e aprofundando as contradições, numa análise de vida cotidiana marcada pela vitória incontestável em assegurar uma tensa e produtiva relação dialética entre o particular e o geral".1

O desempenho do grupo e a agilidade da encenação despertam o entusiasmo do crítico Cláudio Heemann: "Alerta na observação realista, simpática na caricatura cômica, precisa no retrato dos costumes, autêntica linguagem coloquial, Bailei na Curva vale tanto como texto quanto como interpretação e encenação. Aliás, parece congregar de modo indissolúvel esses três aspectos. O espetáculo brota com facilidade de uma movimentação bem desenhada e ritmada. O acerto dos diálogos encontra correspondência na vitalidade e adequação dos atores".2

A primeira montagem de Bailei na Curva fica em temporada por quase três anos, percorre 51 cidades - entre elas seis capitais -, com público de aproximadamente 250 mil pessoas. Recebe o Prêmio Especial do Júri - Troféu Açorianos, concedido pela Prefeitura Municipal de Porto Alegre. A música-tema do espetáculo, Horizontes, de Flávio Bicca Rocha, torna-se sucesso nas rádios. Com o reconhecimento nacional da peça, o texto é encenado por outros grupos de teatro em diversas cidades do Brasil.

A peça, com elenco original, reestreia nas comemorações dos dez anos de reabertura do Theatro São Pedro, em Porto Alegre, em agosto de 1994. Em 2001, o diretor reencena Bailei na Curva com novo elenco e depois realiza sucessivas temporadas. Comemora a milésima apresentação em 2005, e tem público estimado em 600 mil pessoas até 2008.

Notas
1 PEIXOTO, Fernando. Agora o golpe bailou na curva. In: CONTE, Júlio. Bailei na Curva. 2.ed. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1994, p. 9 (série Vamos Fazer Teatro; 4).

2 HEEMANN, Claudio. Zero Hora, Porto Alegre, 03 out. 1983.



Atualizado em 16/07/2010