0 texto

No dia 30 de novembro, o Itaú Cultural realiza a última edição deste ano da série de encontros Brechas Urbanas. Em sinergia com a Ocupação Nise da Silveira, será debatido o tema da loucura, tanto em seu sentido mais subjetivo como em seu viés mais objetivo. No lado da subjetividade, discute-se a subversão de normas e padrões no campo da arte e do comportamento, enquanto no que diz respeito ao conceito de loucura em sua acepção mais objetiva fala-se de doenças mentais.

Participam do evento o filósofo e professor húngaro Peter Pál Pelbart, o poeta, músico e arte-educador Babilak Bah e a psicóloga e pesquisadora Flávia Blikstein, sob mediação de Bruno Torturra. Juntos, eles debatem questões como o que é a loucura hoje, qual é o espaço para ela em nossa cidade e de que maneira a representação do louco influencia em como a sociedade encara os doentes mentais. Além disso, o evento investiga a abordagem histórica do processo de isolamento e inviabilização imposto aos loucos, aos limítrofes e aos diferentes.

Peter Pál Pelbart é professor no Departamento de Filosofia e no Núcleo de Estudos da Subjetividade da pós-graduação em psicologia clínica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Estudioso da obra de Gilles Deleuze, traduziu para o português Conversações, Crítica e Clínica e parte de Mil Platôs. Escreveu sobre a concepção de tempo em Deleuze (O Tempo Não Reconciliado), sobre a relação entre filosofia e loucura (Da Clausura do Fora ao Fora da Clausura: Loucura e Desrazão e A Nau do Tempo-Rei)​ e​ entre política e subjetividade (A Vertigem por um Fio: Políticas da Subjetividade Contemporânea e Vida Capital). É coeditor da n-1 edições e membro da Cia. Teatral Ueinzz.

Babilak Bah é artista, poeta e arte­-educador. Produziu os CDs Enxadário: Orquestra de Enxadas e Biografia de Homens Inquietos. Lançou o DVD Afroprogressivo e dois livros de poemas: Voomiragem e Corpoletrado. É diretor musical do grupo Trem Tan Tan, com o qual lançou mais dois CDs e um DVD. Atualmente coordena a oficina Conteúdos Culturais & Subjetivação no Centro de Referência em Saúde Mental Álcool e Drogas da Pampulha (Cersam AD Pampulha), em Belo Horizonte, para pessoas que fazem uso de álcool e outras drogas.

Flávia Blikstein é psicóloga e atua no campo da saúde mental há 15 anos, tendo trabalhado em diversos serviços públicos, como o Centro de Atenção Psicossocial (Caps) infantojuvenil e adulto, o Núcleo de Apoio e Acompanhamento para Aprendizagem (Naapa) e a Residência Terapêutica. Seu mestrado em psicologia social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP) tratou de crianças em manicômios. É psicóloga clínica e acompanhante terapêutica, além de ser docente na Faculdade de Psicologia do Mackenzie/SP e doutoranda na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP).

Assista às edições anteriores do Brechas Urbanas em bit.ly/brechas_playlist.

Brechas Urbanas – O Espaço da Loucura na Cidade
quinta 30 de novembro de 2017
às 20h
[duração aproximada: 90 minutos]
Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 224 lugares

Entrada gratuita

distribuição de ingressos
público preferencial: duas horas antes do espetáculo | com direito a um acompanhante – ingressos liberados apenas na presença do preferencial e do acompanhante
público não preferencial: uma hora antes do espetáculo | um ingresso por pessoa

[livre para todos os públicos]

Clique aqui para saber mais sobre a distribuição de ingressos.

 

Veja também