A música pode comunicar vivências, congregar pessoas de origens distintas, dar vida a regiões, levantar debates sobre espaço público, identidade e governo. Em julho, o Brechas Urbanas coloca no centro da discussão as possíveis relações entre música e cidade.

Com mediação da jornalista Natália Garcia, a cantora e compositora baiana Luedji Luna, o pesquisador musical Leonardo Bianchini e o guitarrista e compositor Clemente Nascimento se reúnem para debater esse tema.

De formas distintas, os três conduzem a música sob uma ótica social e de vivência urbana. Cofundadora do Palavra Preta, mostra que reúne compositoras e poetas negras de todo o Brasil, Luedji já afirmou ser impossível, para ela, fazer uma arte dissociada do político. Estudioso de percussão africana, Leonardo Bianchini é o idealizador do projeto Músico Cidadão, que propõe, nas cidades de São Paulo e Berlim, trocas culturais com imigrantes e refugiados.

Já Clemente Nascimento é um dos fundadores da banda Inocentes, clássico grupo de punk-rock paulistano, formado em 1981. Com o escritor Marcelo Rubens Paiva, publicou em 2016 Meninos em Fúria, livro que trata não só do movimento punk, mas da sublevação da periferia e da abertura política depois de duas décadas de ditadura civil-militar no país.

O Brechas Urbanas é uma série elaborada para pensar soluções inovadoras para a vida na cidade.

 

Brechas Urbanas – O Papel Político da Música nas Cidades [com interpretação em Libras]
quarta 25 de julho de 2018
às 20h
Sala Multiúso (piso 2) – 100 lugares
[duração aproximada: 120 minutos]

Entrada gratuita

distribuição de ingressos
público preferencial: uma hora antes do espetáculo | com direito a um acompanhante – ingressos liberados apenas na presença do preferencial e do acompanhante
público não preferencial: uma hora antes do espetáculo | um ingresso por pessoa

Clique aqui para saber mais sobre a distribuição de ingressos.

[livre para todos os públicos]

Veja também