O Fukushima do título do último Discoreografia de 2015 não se refere à ilha japonesa que sofreu com um terremoto em 2011, mas sim a Eduardo Fukushima, jovem bailarino e coreógrafo paulistano que tem viajado o mundo apresentando seus trabalhos solo. Dono de uma fisicalidade e de uma movimentação particulares e especiais – estudioso de práticas corporais japonesas sem deixar de ser totalmente brasileiro –, em 2013 Eduardo foi um dos escolhidos pelo Prêmio Rolex Mentor Arts Initiative, para viver um ano em Taipei (Taiwan) trabalhando muito próximo a Lin Hwai-Min – importante referência na dança contemporânea oriental.

Nesta edição do Discoreografia, ele conta sobre as aventuras do período que passou em Taipei e discute o processo de criação de seus primeiros solos, além da importância da música neles. Também fala da curta carreira como ginasta, da mãe bailarina, que sempre foi defensora de sua dança, e da gagueira que marca sua fala desde a infância.

O programa foi gravado ao vivo em Cuiabá (Mato Grosso), durante o Festival Panoramato, no Sesc Arsenal.

>> Ouça todos os programas aqui.

Eduardo Fukushima trabalha como dançarino, coreógrafo e professor. Graduou-se em dança no curso de comunicação das artes do corpo na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Realiza trabalho solo desde 2007 e vem se apresentando no Brasil, na Europa e na América Latina. Contemplado pelo Prêmio Rolex Mentor Arts Initiative 2012/2013, morou em Taiwan por um ano. Saiba mais sobre o artista aqui.

foto_Eduardo_Fukushima

Concepção, curadoria e apresentação: Elisabete Finger
Captação de som em Cuiabá: Yuri Kopcak
Edição: Estúdio Zut (Gabriel Piotto)
Realização: Itaú Cultural e Ministério da Cultura
Foto: Eduardo Fukushima

Título: Ilha Fukushima

Músicas:

1. “Back of Your Head” – Cat Power
2. “Bhoemian Rapsody” – Queen
3. “Como me Cansei da Grande Superação” – Felipe Ribeiro
4. “TV Spam” – In Fan
5. Trilha sonora de Homem Torto – Tom Monteiro
6. “Watashi To lu Na No Onna” – Reiko Ike