Em 1927, Oswald de Andrade publicou sua segunda coletânea de poemas: Primeiro Caderno de Alumno de Poesia teve tiragem inicial de 300 exemplares e, em abril daquele ano, acabara de ser impresso. Com projeto gráfico de Tarsila do Amaral e conteúdo tido como revolucionário, a obra ocupa lugar de destaque na literatura brasileira e, por isso, o volume volta ao público com ares de recuperação de uma relíquia. Para comemorar o feito, no dia 15 de março, quinta-feira, às 19h30, haverá o lançamento da nova edição no Itaú Cultural. O evento também contará com uma conversa com Gênese Andrade, pesquisadora, Jorge Schwartz, professor da FFLCH-USP e curador, e Manuel da Costa Pinto, crítico literário.

O fac-similar, editado pela Companhia das Letras, foi composto com base no livro preservado na Coleção Brasiliana Itaú. Além do respeito à composição original, a obra traz um texto inédito de Manuel da Costa Pinto, “A Infância do Mau Selvagem”, e um ensaio de Augusto de Campos, “Oswald, Livro Livre”. O poeta concreto, aliás, acredita que o sucessor de Pau Brasil (1925) é “possivelmente o mais belo livro de poesia de nosso modernismo”.

Capa da edição fac-similar de Primeiro Caderno de Alumno de Poesia | divulgação

Lançamento de Primeiro Caderno de Alumno de Poesia, de Oswald de Andrade
quinta-feira, 15 de março de 2018 
às 19h30
Sala Multiuso (piso 2) – 100 lugares
Entrada gratuita [sujeita à lotação da sala]
[livre para todos os públicos]

Veja também