O núcleo Educativo do Itaú Cultural sempre pensa nas relações entre os assuntos presentes nas exposições que acontecem no instituto com o desenvolvimento de atividades lúdicas. Elas são um desdobramento das conversas ocorridas durante as visitas no espaço expositivo.

Com um espaço específico para desenvolvimento de atividades, a exposição Moderna Para Sempre ‒ que aconteceu de 25 de janeiro a 9 de março ‒ teve o diferencial de expor esses processos de construção dos visitantes no Laboratório de Atividades.

Como comentado em posts anteriores, umas das principais inspirações para o desenrolar de nossas visitas nesta exposição foram o teórico Robert William Ott e o sistema Image Watching [Observando Imagens]. Seguem algumas dessas experimentações plásticas desenvolvidas como consequência de diferentes abordagens dos alunos em visitas educativas agendadas:

 


Usando cópias das fotos das obras da exposição, os alunos podiam interferir na sua composição com desenhos e recortes, criando uma nova versão. Assim como alguns artistas presentes na mostra, que recriavam a realidade a partir de seu olhar, o objetivo era que os grupos pudessem deixar expostos seus pontos de vista.

 


Em outra atividade, sólidos de isopor se transformaram em cidades. Utilizando uma lanterna, os alunos puderam brincar com a luz e as formas novas que surgiram, como referência à fotografia modernista que utilizava a luz de modo diferenciado, unida à arquitetura urbana moderna.

 


Ainda pensando em arquitetura e urbanização, propusemos que os alunos desenhassem em transparências as formas simplificadas da cidade. No final, os resultados eram visualizados em retroprojetor, com sobreposições destes desenhos compondo uma nova arquitetura.

 


Fazendo relação com os fotogramas presentes na exposição (consulte esse termo no glossário do caderno de conceitos da exposição), propusemos em outra prática uma vivência com objetos dispostos no retroprojetor pelos alunos para criar imagens a partir da luz.

Essas dinâmicas que apresentamos foram pensadas como reflexões e conclusões de processos. Você trouxe algum grupo para visitar a exposição Moderna para Sempre? Conte-nos o que achou dessa experiência!