Por Cassiano Viana

Fotógrafo, poeta, editor e gestor cultural, Fredi Casco é criador do festival paraguaio de fotografia El Ojo Salvaje e editor da revista de fotografia Sueño de la Razón – publicação idealizada durante o primeiro Fórum Latino-Americano de Fotografia de São Paulo, em 2007, e cuja proposta é servir de canal de diálogo e divulgação da fotografia que se produz na América Latina, reunindo ensaios fotográficos, entrevistas e artigos em português e espanhol. Fredi lembra que fotógrafos e artistas têm papel fundamental como influenciadores da avalanche de imagens produzidas atualmente.

>>>Veja também:
Confira a programação completa do IV Fórum Latino-Americano de Fotografia de São Paulo

"Nesse sentido, interessa-nos uma fotografia que rompa com os modelos de representação impostos pelos centros hegemônicos e pelo mercado", diz, complementando que a fotografia na América Latina é uma das mais intensas e provocadoras do mundo. "A América Latina é um campo em ebulição permanente e a arte é uma mostra disso. Os usos da fotografia, nesse sentido, têm cumprido um papel fundamental para desativar modelos de representação das belas-artes herdados da Europa e do passado colonial. Esse papel crítico – e poético – da fotografia, que sempre foi necessário, agora se torna de novo urgente, por tudo aquilo que estamos vivendo no continente."

Fredi, que é um dos coordenadores do fórum, ainda acrescenta: "A fotografia brasileira é, sem dúvida, um dos campos de experiência mais inovadores na América Latina e, há várias décadas, um lugar no qual os limites entre a fotografia documental e aquela mais ligada à arte contemporânea estão em permanente discussão".

Ele destaca a importância do fórum: "Estes são eventos de grande importância para a fotografia latino-americana, pois não só instalam debates e reflexões e ampliam as fronteiras e os limites das práticas fotográficas, mas também têm se mostrado como plataformas ideais para a geração de redes de trabalho e de encontro entre fotógrafos, pensadores, artistas, curadores e pensadores da fotografia de toda a América Latina e do mundo".

Fredi Casco (Foto: Javier Medina)
Fredi Casco (Foto: Javier Medina)

Qual é o papel da fotografia hoje?

Fotógrafos e artistas têm papel fundamental como influenciadores da avalanche de imagens e informações que recebemos a cada segundo hoje, a ponto de já estarmos quase deixando de ver essas imagens. Nesse sentido, interessa-nos uma fotografia que rompa com os modelos de representação impostos pelos centros hegemônicos e pelo mercado.

O tema do fórum neste ano é A Fotografia como Pensamento, com uma reflexão sobre o conceito de arquivo. Em sua opinião, as imagens de arquivo estão sendo mais acessadas ou trabalhadas/utilizadas hoje?

Neste ano vamos debater o potencial da fotografia como ferramenta de pensamento, para além da simples ilustração/representação – pela sua capacidade de tornar-se pensamento. Afinal, é possível filosofar com a imagem? Por outro lado, a exposição Arquivo Ex Machina apresentará obras e autores que levam o conceito de arquivo fotográfico ao limite, ressignificando e, em alguns casos, aproximando a fotografia de campos de experiência próprios da filosofia, das ciências sociais etc. Sem esquecer, obviamente, que seguimos falando de arte ou pela arte.

Qual é a sua percepção do papel e da importância do Fórum Latino-Americano de Fotografia de São Paulo para a área fotográfica no Brasil e na América Latina?

O fórum recupera o legado e continua de alguma maneira a tradição dos colóquios latino-americanos de fotografia iniciados no México no final da década de 1970. Estes são eventos de grande importância para a fotografia latino-americana, pois não só instalam debates e reflexões e ampliam as fronteiras e os limites das práticas fotográficas, mas também têm se mostrado como plataformas ideais para a geração de redes de trabalho e de encontro entre fotógrafos, pensadores, artistas, curadores e pensadores da fotografia de toda a América Latina e do mundo.