O Brasil dos Naturalistas

Com a chegada da família real e a abertura dos portos, em 1808, o país foi finalmente revelado ao mundo e, nas décadas seguintes, recebeu centenas de artistas e cientistas determinados em registrar o território, seus costumes, sua flora e sua fauna, movidos pela enorme curiosidade represada nos 150 anos em que o país ficou fechado.

Desse período, destaca-se o álbum do  Viagens ao Brasil, publicado em Munique, em 1823, por J. B. von Spix e C. F. P. von Martius, com as mais belas gravuras de índios do período, entre as quais os retratos de Iuri, Miranha e Muxuruna.

Outro relevante registro de cientistas e artistas europeus que documentaram o país no século XIX é o conjunto de 30 cromolitografias de pássaros, feitas com base nos desenhos do francês J. T. Descourtilz para a obra  História dos Pássaros do Brasil, publicada em Londres entre 1854 e 1856.


Veja os módulos do espaço