Além da Agenda

Massacre do Carandiru é lembrado em vigília artística organizada por Nuno Ramos

31 de outubro de 2016

Entre os dias 1º e 2 de novembro, das 16h às 16h, o site do Itaú Cultural transmite a ação 111 Vigília Canto Leitura, réquiem que o artista Nuno Ramos organizou para prestar homenagem aos 111 presidiários assassinados, em outubro de 1992, durante uma invasão da Polícia Militar à Casa de Detenção de São Paulo. Ao longo de 24 horas, o próprio Nuno e outros 23 convidados leem, ininterruptamente, o nome das vítimas do episódio, que ficou conhecido como o massacre do Carandiru.

A leitura será feita na varanda de um prédio com vista para a capital paulista, testemunha silenciosa da matança.

nuno.

Já abordada por Nuno na instalação 111 (1992), a chacina voltou a ser comentada em setembro deste ano, quando o Tribunal de Justiça de São Paulo decidiu anular os julgamentos que, entre 2013 e 2014, levaram à condenação dos 74 policiais acusados pelas mortes dos presidiários.

Além de parentes dos mortos, confirmaram participação em 111 Vigília Canto Leitura os artistas Bárbara Paz, Caio Rosenthal, Carlos Augusto Calil, Eliane Dias, Ferréz, Isabela Del Monde, Jean-Claude Bernardet, José Celso Martinez Corrêa, Laerte, Luambo Pitchou, Luiz Alberto Mendes Junior, Marcelo Tas, Marina Person, Paulo Miklos e Rita Cadillac.

Para assistir à transmissão, acesse a home do site do Itaú Cultural ou a página da ação no Facebook.

Saiba mais sobre Nuno Ramos na Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras.

Comentários