Além da Agenda

Na história da cultura e da arte brasileiras

22 de fevereiro de 2016

Comprometido com o passado e com os olhos voltados para o futuro, o Itaú Cultural celebra a passagem do tempo ajudando a escrever a história da cultura e da arte brasileiras, oferecendo efetivo apoio para sua fruição nas mais diversas formas, pelo mais variado público.

Foi em 23 de fevereiro de 1987 que o então presidente do Grupo Itaú, Olavo Egydio Setubal, fundou o instituto. Com foco no incentivo e na difusão de manifestações artístico-intelectuais, ao longo desses 29 anos foram desenvolvidas – e seguem em desenvolvimento – ações contínuas, seja preservando a obra de artistas de diferentes épocas, seja mapeando e apoiando o trabalho de produtores contemporâneos – por meio do Rumos Itaú Cultural, por exemplo.

O instituto tem sede em São Paulo, onde abriga diversos eventos – cursos, exposições, espetáculos etc. –, sempre gratuitos. Expande-se ainda em outros segmentos da cultura, como o estímulo à criação, com o programa Rumos, que é também vetor para o pensamento sobre gestão e fazer cultural.

O Itaú Cultural atua ainda em todo o território nacional promovendo desde mostras itinerantes de recortes de seu acervo de arte até cursos, contemplando diversas áreas de expressão.

No itaucultural.org.br disponibiliza vasto conteúdo, inclusive uma enciclopédia virtual de cultura brasileira que é referência na área, com 6 mil verbetes, 12 mil imagens e cerca de 13 milhões de acessos ao ano.

Desde 2011, o Itaú Cultural é gestor do Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer, por meio de convênio com a Secretaria Municipal de Cultura. O instituto promove espetáculos e mantém uma escola de música para jovens selecionados, em sua maioria, na rede municipal de ensino de São Paulo.

No ano que vem, o instituto comemora três décadas desde sua fundação e prepara uma programação especial para a ocasião.

“O Itaú Cultural busca, há quase 30 anos, aproximar as pessoas da arte e da cultura brasileiras, e nosso foco é atuar de forma perene, permitindo a construção de um legado para a sociedade brasileira”, celebra Eduardo Saron, diretor do instituto.

Comentários