Além da Agenda

Sete Livros e Dois Documentários para Comemorar os 70 Anos de Henfil

5 de fevereiro de 2014

O jornalista e cartunista Henfil completaria 70 anos hoje. Para comemorar sua obra, destacamos nove materiais sobre o artista disponíveis na nossa biblioteca. Veja também o verbete da Enciclopédia Itaú Cultural de Artes Visuais sobre ele.

A biblioteca funciona de terça a sexta, das 9h às 20h, e aos sábados e feriados, das 11h às 20h. Tenha outras informações e explore nosso acervo aqui.

Livros

Henfil na China: Antes da Coca-Cola (1980), Henfil

Uma reportagem sobre a China de 1977 feita por Henfil após os 16 dias em que passou por Pequim, Shangai, Cantão e Honk Kong. O cartunista narra o cotidiano, os costumes e os locais do país oriental – na época ainda não aberto ao capitalismo – e esmiúça os períodos anterior e posterior ao governo de Mao Tsé-Tung. Além dos textos, há 99 cartuns cheios de ironia e sátira.

Diário de um Cucaracha (1983), Henfil

O livro narra a experiência de Henfil nos Estados Unidos, onde morou de 1972 a 1975 para o tratamento de hemofilia. O texto aborda sua relação com a língua nativa e com o sistema de saúde americano. Há também cartas trocadas amigos como Tarik de Souza e José Eduardo Barbosa.

Diretas Já! (1984), Henfil

Charges e textos curtos sobre a redemocratização brasileira na década de 1980 e a campanha Diretas Já!, na qual a sociedade exigia o direito de votar a presidente da República. O livro apresenta um panorama dos debates e acontecimentos políticos da época e tem o potencial de trazer paralelos sobre temas ainda contemporâneos, como a pobreza e a seca.

Cartas da Mãe (1986), Henfil

Uma crônica do Brasil por meio das cartas que Henfil escreveu para sua mãe, dona Maria. Política, amor, cultura e amizade são algumas das temáticas abordadas. De acordo com o cartunista, “escrever cartas para a mãe foi a forma que descobri de falar com o leitor, para facilitar o entendimento. Escrever carta para a mãe é o mínimo que cada um faz. Eu escrevo para minha mãe. Ora, todo mundo tem mãe – espero. Todo mundo tem filho. Todo mundo é mãe ou filho. Então, ou se identifica comigo porque é o filho escrevendo para a mãe ou então é o contrário”.

Henfil do Brasil (2005), Henfil

Trata-se do catálogo da mostra de mesmo nome, realizada pelo Centro Cultural Banco do Brasil. A exposição trouxe 400 desenhos, livros, revistas e impressos – e o livro apresenta esse material e reproduz alguns originais do autor. Também reúne textos do curador Paulo Sérgio Duarte e dos desenhistas Jaguar, Ziraldo e Cássio Loredano (leia a matéria da Folha de S.Paulo à época).

Urubu (2007), Henfil

Reunião das charges de Henfil sobre o futebol carioca das décadas de 1970 e 1980 – principalmente sobre o Flamengo, time de coração do cartunista. O livro relembra as conquistas e derrotas flamenguistas e os jogadores que passaram pelo time; além de tratar de torcidas, arbitragem e renda, entre outros assuntos. Leia aqui uma resenha, da Folha.

O Rebelde do Traço: a Vida de Henfil (1997), Dênis de Moraes

Biografia que abrange a infância do cartunista, a passagem pelos porões da ditadura, o trabalho no Pasquim, a militância no PT e a luta contra a aids. Dênis de Moraes é professor, pesquisador em comunicação e cultura, autor e coautor de cerca de 25 livros, publicados no Brasil e no exterior. Conheça seu blog.

Filme

Henfil em Profissão Cartunista, (2001) direção Marisa Furtado de Oliveira
57’ – VHS (você pode assistir ao filme na própria biblioteca)

Parte da série Profissão Cartunista, o documentário sobre Henfil traz depoimentos de artistas como Jaguar, Ziraldo, Laerte e Glauco, e do treinador de futebol Zico. É narrado pelo próprio Henfil – com base nos áudios do Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro e da Rádio Jornal do Brasil – e tem trilha de Paulo Serran e Chico Mário, irmão do cartunista.

Três Irmãos de Sangue (2006), direção Ângela Patrícia Reiniger
102′ – DVD

O documentário conta a história dos irmãos Betinho, Henfil e Chico Mário e as lutas que compuseram sua trajetória: ditadura, aids, fome, anistia, eleições diretas e redemocratização do Brasil. Há depoimentos de Afonso Romano de Sant’Anna, Aldir Blanc, Antonio Adolfo, Chico Caruso, Fernando Brant, Jaguar, João Bosco, Joyce, Marília Gabriela, Millôr Fernandes, Sérgio Cabral, Tárik de Souza e Ziraldo.

Comentários