testeiras_blog-rumos_960x80

Projeto incentiva a partilha de saberes gastronômicos

14 de outubro de 2016

Em 2016, a cozinha da Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que era usada em oficinas e produções coletivas de comida, entre outros eventos mobilizados pelos alunos, se mudou para a sala de xerox. Em um espaço mais central no edifício, a antiga Cozinha Comum foi rebatizada de Cozinha Dona Lourdes, em homenagem a uma funcionária que trabalhava no local. É nesse espaço que tem início a peregrinação do projeto Cozinha Comum: Itinerâncias, do Coletivo Nó, selecionado pelo Rumos Itaú Cultural 2015-2016.

cozinha comum alt

Formado por Thiago Flores, Paula Lobato e Ceci Nery, alunos da faculdade, o grupo sempre considerou o ato de cozinhar como um ato político. Para eles, a produção consciente e tradicional da comida e seu compartilhamento em redes de troca são uma forma de resistência. Buscando compreender a relação entre a comida e o espaço onde ela é produzida, o coletivo começa a apresentar seu projeto no dia 14 de outubro, às 10h da manhã, na faculdade e em seus arredores.

A proposta se baseia na construção de uma cozinha itinerante que percorrerá quatro “territórios” na cidade de Belo Horizonte (MG) ao longo de 14 meses. Serão realizadas parcerias em cada um dos locais que auxiliarão a Cozinha Comum a ser um ativador do espaço público, além de um instrumento de registro, exposição e atualização de memórias culinárias.

O trio media as várias ações – como produção de alimentos, troca de receitas, colheita de plantas – pensando no contexto específico de cada vizinhança. Além disso, o público poderá registrar os acontecimentos de cada atividade em um diário de bordo coletivo. Vale anotar receitas, contar histórias, colar fotos e materiais coletados. Os registros serão reunidos em uma plataforma digital e, posteriormente, em uma exposição. Ao final, a cozinha móvel será doada à Peixaria, espaço público experimental criado pelos alunos da Escola de Arquitetura. Ela ficará disponível para uso por indivíduos e coletivos da cidade.

As atividades

Durante a passagem da Cozinha Comum pelo primeiro território de Belo Horizonte – a Escola de Arquitetura e sua vizinhança –, o coletivo realiza ações diversas alinhadas ao objetivo geral do projeto. No dia 14 acontece a inauguração da cozinha. O coletivo e os participantes saem da feira livre da Rua Gonçalves Dias, passeando pela vizinhança e coletando alimentos para preparo na hora. No dia seguinte, todos se encontram na Praça da Escola de Arquitetura e trocam mudas e receitas entre si. É preciso levar comida para a produção de um lanche colaborativo.

Nos dias 18 e 19, Zora Tikar Hausa Fulani Santos, do Terreiro 13 de Maio, compartilha receitas de família enquanto conversa com Ana Climbleris Alkmin, pesquisadora do Instituto Kairós, sobre propriedades medicinais de alimentos, ervas e chás. Em 27 de outubro acontece um passeio pelo entorno da Escola de Arquitetura – no caminho, os participantes devem identificar e colher plantas que crescem na rua, a fim de utilizá-las em pequenos lanches. O guia da atividade é Lucas Mourão, conhecido por utilizar plantas não convencionais nas comidas de sua marca Jaca Verde.

A Comidaria Pública e a cozinheira e pesquisadora Patrícia Brito participam da ação do dia 3 de novembro, destinada ao exercício da memória gustativa. Por fim, no dia 10 do mesmo mês, fechando o primeiro ciclo do projeto, a arquiteta, cozinheira e pesquisadora de hortas urbanas Ana Xavier comanda uma oficina e conversa sobre a relação entre o plantio e o consumo de alimentos cultivados no meio urbano. Também há uma reflexão sobre a qualidade do alimento e a distância que ele percorre para chegar às nossas mesas. As atividades são gratuitas e livres para todos os públicos.

Cozinha Comum: Itinerâncias

Cozinha na Hora
14 de outubro | às 10h
Local: feira livre da Rua Gonçalves Dias

Troca de Mudas e Receitas
15 de outubro | às 10h
Local: Praça da Escola de Arquitetura (UFMG)
R. Paraíba, 697 – Belo Horizonte (MG)

Alimentos que Curam
18 de outubro | às 16h
Local: Praça da Escola de Arquitetura (UFMG)
R. Paraíba, 697 – Belo Horizonte (MG)

19 de outubro | às 16h
Local: Campus UFMG
Av. Pres. Antônio Carlos, 6627 – Pampulha – Belo Horizonte (MG)

Plantas Alimentícias Não Convencionais
27 de outubro | às 14h
Local: partida da Praça da Escola de Arquitetura (UFMG)
R. Paraíba, 697 – Belo Horizonte (MG)

Memória Gustativa
3 de novembro | às 18h
Local: Praça da Escola de Arquitetura (UFMG)
R. Paraíba, 697 – Belo Horizonte (MG)

Da Horta ao Prato
10 de novembro | às 14h
Local: Escola de Arquitetura (UFMG)
R. Paraíba, 697 – Belo Horizonte (MG)

Comentários


veja também

Blog

Rumos 2015-2016: Letras que Flutuam

Por André Bernardo Os “abridores de letras” da Amazônia conseguem realizar uma proeza aparentemente impossível: tornar os rios da região [+]

Blog

Rumos 2015-2016: Pontes sobre Abismos

Por Adriana Ferreira Silva Em 2010, a artista Aline Motta foi escolhida pela avó materna, Doralice, então com 99 anos, [+]

Blog

Rumos 2015-2016: Ogum Iê!

por Jessica Orlandi O Bongar – grupo musical formado por integrantes do terreiro da nação Xambá, do Quilombo do Portão do [+]