testeiras_blog-rumos_960x80

Rumos 2013-2014: Contrabaixista valoriza a cultura popular do Tocantins

10 de outubro de 2014

obra: Mutum – Mostra de Música Instrumental e Culturas Populares do Tocantins
selecionado: Diego Britto

Do erudito ao pop, passando pelo jazz e pela música brasileira. Na casa de Diego Britto, em Goiânia (GO), ouvia-se de tudo um pouco. Além dos vinis do pai, sempre tinha alguém que cantasse ou tocasse violão. O avô materno era exímio violonista e, mesmo tendo convivido pouco com o neto (ele morreu quando o menino tinha 4 anos), conseguiu deixar a sua marca. “Ali eu já tinha sido contaminado pelo vírus musical, artístico”, recorda Britto.

No entanto, foi na Bélgica, onde morou por um tempo com a família por conta do doutorado do pai, que Britto passou a vivenciar a música de uma outra forma. Aos 12 anos, conheceu um hippie chamado Franz, que tocava nas ruas. “Eu fiquei fascinado pela possibilidade de tocar e ainda por cima ganhar por isso, mesmo que fosse na rua”, lembra, revelando também que virou amigo do artista e que aprendeu “muita coisa boa” com ele.

Paraíba dos 8 Baixos é um dos protagonistas do Mutum: ele é sanfoneiro, cantor e compositor

 

Ainda na Bélgica, Britto teve contato com outros músicos e, a partir desse convívio, pediu um violão para a mãe. “Um dia, um músico jornalista amigo de meu pai me viu tocando e disse que eu tinha tudo para ser baixista. Eu acreditei nele e resolvi investir na ideia. Me apaixonei pelo instrumento”, conta.

Já de volta ao Brasil, aos 16 anos, Britto montou sua primeira banda ao lado dos primos. “De lá para cá, é só alegria”, comenta. Com o tempo, além de tocar, ele também começou a se envolver com produção. “Todo músico é um pouco produtor, né? Não tem jeito”, observa o contrabaixista.

O início nessa área aconteceu quando ele se tornou professor no Centro Cultural Gustav Ritter, em Goiânia, e percebeu que o trabalho em grupo era essencial para o desenvolvimento dos alunos. Como tinha muita liberdade no espaço, resolveu criar um curso de prática em conjunto, organizou workshops e produziu apresentações de final de ano.

Em 2006, Britto soube de um concurso para professor de contrabaixo elétrico em Palmas (TO). O músico já tinha uma relação afetiva com o estado desde a infância, já que a família de seu pai mora em Araguaçema, uma cidade à beira do Rio Araguaia, onde ele passava as férias quando criança. “Sempre tive uma ligação muito forte com a cultura daqui (Tocantins)”, frisa.

Por toda essa ligação, ele não teve dúvidas em prestar o concurso e se mudar para lá. Com a bagagem acumulada como músico, professor e produtor, não demorou muito para que se envolvesse de vez com a cultura local e, assim, iniciasse um projeto de valorização das produções tradicionais tocantinenses. É neste momento que nasce o projeto Mutum – Mostra de Música Instrumental e Culturas Populares do Tocantins.

Proposta

A ideia do festival surgiu há dois anos, quando Diego Britto se mudou para Taquaruçu, distrito localizado a apenas 30 quilômetros de distância de Palmas e conhecido pela natureza exuberante e pelos seus festejos tradicionais.

O evento, que será realizado em meados de 2015, contará com espetáculos de música instrumental de grupos regionais, além de oficinas e atividades que envolverão também outras áreas artísticas, como mostras cinematográficas, de artesanato e de fotografia.

Mutum é uma proposta de programação de caráter integrado e coletivo, pretendendo reunir e estimular o desenvolvimento do que há de melhor na música instrumental e na cultura tradicional local, inserindo o Tocantins no circuito de mostras e festivais”, destaca Britto.

O nome foi escolhido por alguns motivos especiais. “Mutum é uma ave maravilhosa. Visualmente, parece um maestro, e cantando é sensacional. Mutum é também um vale aqui de Taquaruçu, riquíssimo. Sempre houve muita festa por lá, rodas de tambores e folias”, conta. E não acaba por aí. Mutum, o vale, guarda ainda um sítio arqueológico que possui inscrições rupestres, gravuras e cerâmicas que datam de milhares de anos.

 

Comentários