testeiras_blog-rumos_960x80

Rumos 2015-2016: Brasis

16 de março de 2017

Por André Bernardo

Exatos 156 anos separam duas travessias pelos rincões do Ceará. A mais antiga, iniciada em 1859, levou dois anos e cinco meses para ser concluída e entrou para a história como a primeira expedição científica 100% brasileira. Já a segunda, em 2017, durou 15 dias e faz parte do projeto Brasis, um dos selecionados do programa Rumos Itaú Cultural 2015-2016. O que as duas têm em comum? A segunda, empreendida pelos pesquisadores Érico Araújo Lima, Leonardo Mouramateus e Yuri Firmeza, procura recriar, artisticamente, trechos da primeira.

Projeto Brasis é a recriação da primeira expedição científica 100% brasileira

Projeto Brasis é a recriação da primeira expedição científica 100% brasileira

Em janeiro deste ano, Érico, Leonardo e Yuri percorreram dez cidades do interior do Ceará, como Quixadá, Juazeiro e Sobral, e desbravaram diferentes paisagens geográficas, políticas e culturais. “O coronelismo ainda é, como em boa parte do Brasil, uma violência avassaladora. Mas há também muitos modos de resistir, o que nos manteve sempre com uma alegria ativa”, relata Érico. Boa parte da expedição foi registrada em vídeo. “Cada cidade nos desafiava a pensar quais imagens seriam produzidas, que materiais seriam colecionados. No primeiro dia em cada uma delas, nós nos dirigíamos à casa de alguém com quem já tínhamos estabelecido um contato prévio. Cada uma dessas pessoas se tornou um elo de relação com o espaço”, explica Érico.

A ideia de transformar a primeira expedição científica brasileira em um projeto multimídia que engloba uma exposição de artes visuais ganhou vida quando Jacqueline Medeiros, curadora e coordenadora de artes visuais do Centro Cultural Banco do Nordeste, em Fortaleza, disponibilizou um exemplar do livro Comissão Científica do Império: 1859-1861. Organizada pela historiadora Lorelai Kury, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a obra foi lançada em 2009, como parte das comemorações pelos 150 anos da famosa expedição.

Personagem ilustre a bordo

Batizada de Comissão Científica de Exploração, a caravana que deu origem ao projeto Brasis foi concebida pelo Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), a mais importante instituição científica dos tempos do Império, e financiada por Dom Pedro II. Entre os seus objetivos estavam a realização de pesquisas nas áreas de botânica, zoologia, geologia, etnografia e astronomia e a coleta de amostras de pedras, insetos e plantas.

A expedição foi chefiada pelo botânico Francisco Freire Alemão e composta de nomes como o do físico Guilherme Capanema, o do ornitólogo Manoel Ferreira Lagos e o do matemático Giácomo Raja Gabaglia. Uma curiosidade: o poeta e historiador Gonçalves Dias, famoso graças ao poema “Canção do Exílio” – aquele do “Minha terra tem palmeiras onde canta o sabiá…” –, também integrou a caravana.

“Ficamos contagiados pela travessia e começamos a nos perguntar a respeito das possibilidades de investigação para o campo das artes”, afirma Érico. “A Comissão foi ricamente estudada por historiadores e rendeu vasto material de estudos. Nosso trabalho é ligado à curiosidade de uma expedição, mas não tem o desejo de esquadrinhar um território. Mergulhamos em livros de história, diários dos viajantes, aquarelas dos pintores da expedição. Temos a inquietação de transformar esse mergulho não em um estudo histórico ou antropológico, mas em uma experiência estética”, completa Érico.

A “experiência estética” a que Érico se refere pode ser dividida em três partes: filme, exposição e seminário. “O momento atual é o de montagem do filme e de elaboração de ideias para a instalação”, avisa. Em agosto, eles promoverão um seminário, O Trabalho das Ruínas: Genealogias, Ficções, (Re)montagens, com pensadores de diferentes campos do saber, como geógrafos, filósofos e escritores, para discutir as muitas questões suscitadas pelo projeto. “Nossa intenção é ter finalizado, até outubro, um filme para exibir na Mostra Rumos do Itaú Cultural. E, no próximo ano, pretendemos fazer uma exposição em Fortaleza.”

Comentários


veja também

Rádio

Rumos Música Coletivo 2010-2012 – Qu4trilho

Músicos: Fernanda Cabral (DF), Rafael Piccolotto de Lima (SP), Denni Pontes (SP) e Ângelo Primon (RS). O grupo reuniu-se em [+]

Blog

Tango, selecionado Rumos, será exibido em Curitiba

Na sexta-feira 9 de dezembro, o Cinesystem Curitiba exibe as animações stop-motion Parque Pesadelo e Tango – as duas produzidas [+]

Blog

Espetáculo Peso Bruto estreia em Florianópolis

Contemplado pelo Rumos Itaú Cultural na edição de 2015/2016, Peso Bruto é um solo da bailarina gorda Jussara Belchior, integrante [+]