Obras audiovisuais que exploram e ampliam a linguagem do cinema e do vídeo são o foco da exposição Filmes e Vídeos de Artistas na Coleção Itaú Cultural, que acontece no Museu Casa das Onze Janelas, em Belém, de 23 de julho a 20 de setembro de 2015.

Com curadoria de Roberto Moreira S. Cruz, a mostra – que reúne significativas obras audiovisuais realizadas por artistas brasileiros nos últimos 50 anos – é dividida em dois núcleos: o histórico, possibilitado pela remasterização e pela recuperação de importantes produções da década de 1970, de artistas como Nelson Leirner, Letícia Parente e Rubens Gerchman; e o contemporâneo, com trabalhos de nomes de destaque na nova geração, como Eder Santos, Brígida Baltar, Gisela Motta e Leandro Lima.

Frame de A Arte de Desenhar, de Regina SilveiraFrame de Marca Registrada, de Letícia Parente.Frame de Sunday, de Rivane e Sergio Neuenchwander, uma das obras da exposição.Frame de Memória, de Eder SantosFrame de Amoahiki, de Gisele Motta e Leandro LimaFrame de Homenagem a Steinberg - Variações sobre um Tema de Steinberg: as Máscaras Nº1, de Nelson LeirnerFrame de Passagens, de Anna Bella GeigerFrame de Coletas, de Brígida BaltarFrame de O Pintor Joga o Filme na Lata do Lixo, de Cao GuimarãesFrame de Cinema, de Eder Santos

Filmes e Vídeos de Artistas na Coleção Itaú Cultural é uma iniciativa pioneira de uma instituição cultural. Ela formaliza, por meio da aquisição, da conservação e da restauração, a constituição de um acervo permanente de obras audiovisuais feitas no país ao longo das últimas cinco décadas.

Filmes e Vídeos

Passagens # 1 [Anna Bella Geiger, 1974, 10 min]
Por meio de uma narrativa sem começo nem fim, o trabalho revela a expressividade formal de uma mesma ação – o ato de andar pelos degraus de uma escadaria – apresentada repetidas vezes.

Coletas [Brígida Baltar, 1998-2005, 16m36s]
Criando uma relação intrínseca entre a performance e seu registro em vídeo, a obra mostra a artista coletando, em pequenos frascos, o ar de paisagens com neblina.

O Pintor Joga o Filme na Lata de Lixo [Cao Guimarães, 2008, 6 min]
O vídeo Da Janela do Meu Quarto (2004), também de Cao Guimarães, é projetado na parede de uma galeria – e se abre para as intervenções de um pintor. Projeção e pintura se misturam na mesma superfície, formando uma reflexão sobre os caminhos que o cinema pode tomar.

Cinema [Eder Santos, 2009, 13 min]
Transformando aspectos prosaicos do cotidiano em fenômenos poéticos, a obra explora o tempo próprio de uma série de objetos e situações registrados no interior de Minas Gerais.

Amoahiki [Gisela Motta e Leandro Lima, 2008, 8 min]
Realizado com base em uma visita à aldeia ianomâmi Watoriki, em Roraima, o vídeo apresenta uma visão onírica sobre a floresta e seus habitantes.

Marca Registrada [Letícia Parente, 1974, 11 min]
Em um único plano-detalhe, filmado por Jom Tob Azulay, a artista borda a frase “Made in Brasil” na sola do próprio pé.

Homenagem a Steinberg – Variações sobre um Tema de Steinberg: as Máscaras No 1 [Nelson Leirner, 1975, 7 min]
Fazendo referência aos hábitos e aos costumes da classe média brasileira e da sociedade de consumo, pessoas realizam atividades cotidianas usando máscaras pintadas em sacos de papel pardo – semelhantes às criadas pelo artista plástico Saul Steinberg nas décadas de 1950 e 1960.

A Arte de Desenhar [Regina Silveira, 1980, 3 min]
O vídeo mostra uma espécie de jogo no qual mãos de carne e osso tentam imitar as formas e os gestos de sombras, ou silhuetas, de mãos. As imitações bem-sucedidas recebem salvas de palmas.

Domingo [Rivane e Sergio Neuenschwander, 2010, 6 min]
Um papagaio, ao comer sementes, provoca inusitadas interferências na narração radiofônica de uma partida de futebol.

Triunfo Hermético [Rubens Gerchman, 1972, 12 min]
Síntese do pensamento do diretor, o vídeo tem como personagens as grandes esculturas de palavras que Gerchman começou a construir em 1971.

Planeta Fóssil [Thiago Rocha Pitta, 2009, 16 min]
Por meio da linguagem do vídeo, o trabalho cria um ambiente no qual a água, o fogo e a terra se encontram em plena mutação.

Translado [Sara Ramo, 2008, 7m46s]
Ao se apropriar de elementos e cenas do cotidiano, deslocando-os de seus lugares de origem e rearranjando-os, Sara Ramo cria estratégias formais e conceituais, numa encenação constante de mapeamento da realidade.


Filmes e Vídeos de Artistas na Coleção Itaú Cultural
quinta 23 de julho a domingo 20 de setembro de 2015
terça a sexta 10h às 18h
sábado, domingo e feriado 10h às 14h

R$ 4 e R$ 2 (meia-entrada) | Gratuito às terças-feiras e em todos os dias para crianças de até 7 anos, adultos a partir dos 60 anos e pessoas com deficiência