Nos dias 30 de junho e 1º de julho, todos estão convidados para passar a tarde com Mariama Camara, dançarina, percussionista, cantora, coreógrafa e professora guineana que vive no Brasil há 10 anos. Pais e filhos podem para participar da Oficina de Danças da Guiné e do espetáculo Ressonâncias da África.

A Oficina Danças da Guiné, que acontece às 14h, se propõe a promover a difusão e o intercâmbio cultural ao apresentar formas expressivas tradicionais das aldeias e dos balés nacionais da República da Guiné. A história dos ritmos é apresentada por meio de narrativas e cantos ancestrais.

Em seguida, às 16h, Mariama apresenta Ressonâncias da África, espetáculo de dança africana tradicional que traz em seu repertório artístico-cultural os conhecimentos ancestrais do Oeste da África.

Paralelamente a isso, o Fim de Semana em Família traz o Cantinho da Leitura, que neste mês de junho homenageia a autora de literatura infantojuvenil Tatiana Belinky. No espaço os visitantes têm acesso à Feirinha de Troca, na qual a criançada pode trocar um livro, um gibi ou um DVD em bom estado por outro da nossa estante, e a uma seleção de publicações infantojuvenis. Neste mês, metade delas é da autora homenageada, com destaque para as obras Saladinha de Queixas e História da Tigela Achada. As atividades acontecem no piso térreo do Itaú Cultural, das 11h30 às 16h30.

Oficina de Danças da Guiné [com interpretação em Libras]
sábado 30 de junho domingo 1 de julho de 2018
às 14h 
[duração aproximada: 60 minutos]
Sala Multiúso (piso 2) – 20 crianças com um acompanhante cada uma
[inscrições a partir das 13h30]

 

Ressonâncias da África [com interpretação em Libras]
sábado 30 de junho domingo 1 de julho de 2018
às 16h
[duração aproximada: 60 minutos]
Sala Multiúso (piso 2) – 70 lugares
[distribuição de ingressos a partir das 14h]

 

Cantinho da Leitura e Feirinha de Troca
sábado 30 de junho domingo 1 de julho de 2018
das 11h30 às 16h30
piso térreo

Entrada gratuita

[livre para todos os públicos]

Veja também

"O Menino e o Mundo", de Alê Abreu

Mesmo um leigo em cinema de animação, como eu, percebe já ao primeiro contato com O Menino e o Mundo que está diante de um filme extraordinário, que leva a um ponto extremo as possibilidades expressivas e poéticas desse gênero.