No início, ele já estava lá. A palavra oriunda do viver, o olhar sobre o mundo que trança versos e símbolos. Há quatro anos, um grupo de estudos de teatro encontrou em Manoel de Barros uma inspiração, mastro orientador na tarefa de inventar representações com as quais exista identificação real, funda. Hoje, muitas estrofes depois, a turma pesquisadora forma a Cia. Quinquió. Tomados pelo poema “Olhos Parados”, os integrantes decidiram criar algo a partir do escrito. Nos dias 5 e 6 de maio, a trupe apresenta dois dos frutos dessa germinação: às 14h, o público é convidado, em uma oficina, a vivenciar a leitura do escritor com alma de menino; na sequência, a poesia ganha o palco no espetáculo Raiz do Sonho, história de uma pequena moradora de um vilarejo que anseia por chegar à cidade.

Reunir de modo natural crianças e adultos é tarefa árdua que forma o terreno-base da oficina. Samara Chedid, atriz e uma das responsáveis pelo projeto, acredita, porém, que tal desafio é estimulante e sempre recompensador, visto que, em sua opinião, a obra de Manoel de Barros toca tanto os menores quanto os mais velhos. “A potência das imagens que o poeta propõe faz com que as imagens elaboradas por nós também sejam um discurso simples e poético”, avalia a idealizadora. Segundo ela e Luis Manarelli, fundador da companhia, o intuito da atividade é despertar, em todos, as sensações mobilizadas pelas letras do inventor de Arranjos para Assobio (1980). Para isso, conta-se com sons, cheiros e objetos táteis, pilares de um ambiente armado para atiçar a imaginação.

A sutileza se faz presente, de modo igual, em Raiz do Sonho. A beleza do dia a dia, a atenção para o detalhe, a vida que não depende de grandes posses: essas são as direções das sequências que narram a aventura da protagonista do espetáculo. A menina, cujo lar está em um povoado, espaço dividido com o irmão, deseja, entre vários quereres, ir ao centro. Na cidade, crê, estão o seu pai e o chapéu que dela escapou. Um vendaval, contudo, é um obstáculo a ser vencido para que, de um jeito corajoso e divertido, a mocinha atinja a realização. A trama foi costurada com liberdade: “A partir das vivências pessoais de cada ator, alinhadas à poesia, começamos um processo de improvisação. Cada cena foi livremente inspirada em um poema. Depois que o material foi levantado, amarramos a ficção”, relata Samara, produtora da apresentação.

Encenar um trabalho inspirado no fazedor do amanhecer é ofertar ao outro a perspectiva do próprio quintal, da própria infância – vivida no agora ou no ontem. “É como se chamássemos as pessoas da nossa rua para brincar num fim de tarde”, compara a atriz. As crianças logo se entregam ao lúdico, e os adultos relembram quem foram, fazem uma espécie de balanço, na maioria dos casos feliz. Assim, meio como vento que sopra leve, a Cia. Quinquió põe na roda o que aprendeu com Manoel de Barros: entrar nos espaços, físicos ou interiores, repletos daquilo que é belo; colocar-se em posição de escuta dos sentimentos humanos.
 

Oficina de Poesia, projeto da Cia. Quinquió | divulgação

Paralelamente às atividades, o Fim de Semana em Família traz o Cantinho da Leitura, que neste mês de maio homenageia a escritora Ana Maria Machado. No espaço, os visitantes têm acesso à Feirinha de Troca, na qual a criançada pode trocar um livro, um gibi ou um DVD em bom estado por outro da nossa estante, e a uma seleção de publicações infantojuvenis. Em maio, metade delas são da autora homenageada, com destaque para as obras Avental que o Vento Leva e Menina Bonita do Laço de Fita. As atividades acontecem no piso térreo do Itaú Cultural, das 11h às 16h30.


Oficina de Poesia [com interpretação em Libras]
sábado 5 e domingo 6 de maio de 2018
às 14h
[duração aproximada: 75 minutos]
Sala Multiúso (piso 2) – 30 crianças com um acompanhante cada uma

Entrada gratuita – inscrições com meia hora de antecedência

[livre para todos os públicos]

Espetáculo Raiz do Sonho [com interpretação em Libras]
sábado 5 e domingo 6 de maio de 2018
às 16h
[duração aproximada: 60 minutos]
Sala Multiúso (piso 2) – 70 lugares

Entrada gratuita – distribuição de ingressos a partir das 14h

[livre para todos os públicos]

Clique aqui para saber mais sobre a distribuição de ingressos.

Cantinho da Leitura e Feirinha de Troca
sábado 5 e domingo 6 de maio de 2018
das 11h às 16h30
piso térreo

Entrada gratuita

[livre para todos os públicos]

Veja também