0 texto

A banda Folk na Kombi – formada por Bezão (voz, violão e percussão), Felipe Camara (voz, violão, banjo, guitarra e percussão) e Jonavo (voz, violão, bandolim e guitarra) – faz o lançamento do DVD Ao Vivo no Auditório Ibirapuera, gravado na casa em 2016 e dirigido por Maria Silvia Siqueira Campos, num show que conta com a participação especial de Fernando Anitelli, Nô Stopa e Zé Geraldo.

“Esse espetáculo é de comemoração do lançamento do DVD e da nossa amizade”, fala Bezão. “Faz dois anos que gravamos esse trabalho e, nesse meio-tempo, cada um dos integrantes da banda resolveu falar também de outras coisas, por meio de projetos individuais e autorais. Eu e a Nô Stopa estamos nos apresentando com o show do disco Duas Casas [2017], o Felipe está finalizando o trabalho solo dele, e o Jonavo lançou o álbum Casulo [2018]. Mas, no fim, todos acabam participando do projeto um do outro. Quando nos reunimos é sempre uma festa. Esperamos que essa festa continue por muito tempo.”

Durante a apresentação, o trio mostra um repertório composto das canções que fazem parte do DVD, como “A Vida e a Flor”, “Dançar Eu Vou” e “Tomate”, além de algumas surpresas ao lado de seus convidados – que também estiveram presentes na época da gravação da obra.

“A Nô sempre participou dos trabalhos da Folk na Kombi. Nós brincamos que ela é o quarto elemento do grupo. Com ela e com o Fernando Anitelli, outro querido parceiro, vamos fazer ‘Na Estrada’, entre outras músicas”, diz Bezão. “Falando do Zé Geraldo, nós sempre brincamos que, além de ser padrinho da banda, ele é o pai do folk, é o nosso ‘Bob Dylan brasileiro’. Quem conhece música brasileira, não só folk e rock rural, sabe que o Zé é uma grande referência. Então, para nós, é um prazer enorme poder dividir mais uma vez o palco com ele, que vai tocar conosco ‘Velho Vagabundo’. Somos muitos dentro da Kombi. E sempre cabe mais gente.”

Bezão acrescenta que o espaço que a música folk ganhou no Brasil nos últimos tempos continua crescendo, com novos nomes surgindo todos os dias, país afora, e que as novas mídias têm contribuído para a propagação do gênero musical.

“Além da receptividade, acho que os meios têm aberto mais espaço para o folk. Temos percebido que no Brasil todo vêm surgindo muitos nomes levantando a bandeira desse gênero musical”, fala o músico. “No Spotify, por exemplo, você encontra folk brasileiro, coisa que não existia antes. E se há essa plataforma digital, entre outras, que está com essa abertura para o folk – que existe desde Tião Carreiro e Pardinho, mas não tinha antes essa nomenclatura –, nós somos muito felizes e afortunados por levantar e ajudar a difundir essa bandeira.”

Folk na Kombi [com interpretação em Libras]
sexta 3 de agosto de 2018
às 21h
[duração aproximada: 90 minutos]

ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada)

[livre para todos os públicos]

abertura da casa: 90 minutos antes do espetáculo

Os ingressos podem ser adquiridos pelo site Ingresso Rápido, em seus pontos de venda e pelo telefone 11 4003 1212. Também estão à venda na bilheteria do Auditório Ibirapuera, nos seguintes horários:
sexta e sábado, das 13h às 22h
domingo, das 13h às 20h

Veja também