Formação inédita de gestores culturais em todo o país_

O Itaú Cultural é a primeira instituição cultural privada no país a criar uma pós-graduação em gestão cultural. Por meio do Observatório Itaú Cultural – espaço de reflexão e pesquisa sobre o setor cultural –, há quase uma década o instituto oferece o curso de Especialização em Gestão e Políticas Culturais em parceria com a Cátedra Unesco de Políticas Culturais e Cooperação da Universidade de Girona, Espanha. Desde a sua criação, em 2008, já recebeu 10,5 mil inscrições dos mais diversos estados do país e atendeu mais de 360 alunos de todo o país, entre eles, secretários municipais e estaduais da Cultura, gestores culturais, lideranças das mais diversas unidades do Sesc.

 

O curso gratuito e inédito tem duração de um ano letivo, se estrutura por meio de aulas presenciais e virtuais e é dirigido pelo professor titular da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) Teixeira Coelho e pelo professor da Universidade de Girona e codiretor do Laboratório de Investigação e Inovação em Cultura e Desenvolvimento com sede na Colômbia e na Espanha, Alfons Martinell.

 

Cursos de 40 horas

Ainda no âmbito da gestão, foi criada a Semana de Gestão e Políticas Culturais, em que o instituto vai até as localidades. Desde a sua criação, em 2008, o curso de quarenta horas beneficiou cerca de três mil profissionais ligados às áreas culturais entre as 25 cidades por onde passou: São Luiz (MA), Porto Velho (RO), Boa Vista (RR), Rio Branco (AC), Salvador (BA), Aracaju (SE), Maceió (AL), João Pessoa (PB), Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Goiânia (GO), São Paulo (SP), Macapá (AP), Recife (PE), Bauru (SP), Ribeirão Preto (SP), Presidente Prudente (SP), Belo Horizonte (MG), Janaúba (MG), Feira de Santana (BA), Crato (CE) e Canoas (RS).

A proposta deste curso rápido é realizar uma formação de produtores e gestores culturais para que possam lidar melhor com as especificidades da gestão cultural, compreender as diversas demandas de sua região, e os desafios da atualidade.

 

Cátedra na USP

Em 2016, o Itaú Cultural criou a Cátedra Olavo Setubal, primeira na Universidade de São Paulo para discutir questões do universo das artes e da gestão cultural, além de temas científicos e sociais. Criada em parceria com o Instituto de Estudos Avançados (IEA/USP), com duração mínima de cinco anos, tem como primeiro titular o cientista político, filósofo, diplomata e primeiro titular da cátedra Sérgio Paulo Rouanet.

 

A previsão orçamentária total é de R$ 1,5 milhão, custeada pelo instituto. Para cada programa está prevista a dotação anual de R$ 150 mil. Trata-se de reconhecimento da dedicada atenção que o instituto tem dado à gestão e formação de política cultural e integra os dez anos do Observatório Itaú Cultural, celebrados esse ano.

 

O Observatório Itaú Cultural foi criado em 2006 com foco na gestão, na economia e nas políticas culturais e promove, desde então, estudos e debates desses temas, estimulando a reflexão sobre a cultura em seus vários aspectos e analisando os indicadores nacionais. Amplia a sua atuação e alcance com seminários, encontros e palestras; uma linha editorial de livros e da Revista Observatório, disponíveis gratuitamente na web; a promoção de pesquisas sobre o campo cultural além do curso de especialização em gestão cultural.

2016 -  DESENVOLVIDO PELA CONTEÚDO COMUNICAÇÃO

O Itaú Cultural é a primeira instituição cultural privada no país a criar uma pós-graduação em gestão cultural. Por meio do Observatório Itaú Cultural – espaço de reflexão e pesquisa sobre o setor cultural –, há quase uma década o instituto oferece o curso de Especialização em Gestão e Políticas Culturais em parceria com a Cátedra Unesco de Políticas Culturais e Cooperação da Universidade de Girona, Espanha. Desde a sua criação, em 2008, já recebeu 10,5 mil inscrições dos mais diversos estados do país e atendeu mais de 360 alunos de todo o país, entre eles, secretários municipais e estaduais da Cultura, gestores culturais, lideranças das mais diversas unidades do Sesc.

 

O curso gratuito e inédito tem duração de um ano letivo, se estrutura por meio de aulas presenciais e virtuais e é dirigido pelo professor titular da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) Teixeira Coelho e pelo professor da Universidade de Girona e codiretor do Laboratório de Investigação e Inovação em Cultura e Desenvolvimento com sede na Colômbia e na Espanha, Alfons Martinell.

 

Cursos de 40 horas

Ainda no âmbito da gestão, foi criada a Semana de Gestão e Políticas Culturais, em que o instituto vai até as localidades. Desde a sua criação, em 2008, o curso de quarenta horas beneficiou cerca de três mil profissionais ligados às áreas culturais entre as 25 cidades por onde passou: São Luiz (MA), Porto Velho (RO), Boa Vista (RR), Rio Branco (AC), Salvador (BA), Aracaju (SE), Maceió (AL), João Pessoa (PB), Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Goiânia (GO), São Paulo (SP), Macapá (AP), Recife (PE), Bauru (SP), Ribeirão Preto (SP), Presidente Prudente (SP), Belo Horizonte (MG), Janaúba (MG), Feira de Santana (BA), Crato (CE) e Canoas (RS).

A proposta deste curso rápido é realizar uma formação de produtores e gestores culturais para que possam lidar melhor com as especificidades da gestão cultural, compreender as diversas demandas de sua região, e os desafios da atualidade.

 

Cátedra na USP

Em 2016, o Itaú Cultural criou a Cátedra Olavo Setubal, primeira na Universidade de São Paulo para discutir questões do universo das artes e da gestão cultural, além de temas científicos e sociais. Criada em parceria com o Instituto de Estudos Avançados (IEA/USP), com duração mínima de cinco anos, tem como primeiro titular o cientista político, filósofo, diplomata e primeiro titular da cátedra Sérgio Paulo Rouanet.

 

A previsão orçamentária total é de R$ 1,5 milhão, custeada pelo instituto. Para cada programa está prevista a dotação anual de R$ 150 mil. Trata-se de reconhecimento da dedicada atenção que o instituto tem dado à gestão e formação de política cultural e integra os dez anos do Observatório Itaú Cultural, celebrados esse ano.

 

O Observatório Itaú Cultural foi criado em 2006 com foco na gestão, na economia e nas políticas culturais e promove, desde então, estudos e debates desses temas, estimulando a reflexão sobre a cultura em seus vários aspectos e analisando os indicadores nacionais. Amplia a sua atuação e alcance com seminários, encontros e palestras; uma linha editorial de livros e da Revista Observatório, disponíveis gratuitamente na web; a promoção de pesquisas sobre o campo cultural além do curso de especialização em gestão cultural.

2016 -  DESENVOLVIDO PELA CONTEÚDO COMUNICAÇÃO

Formação inédita de gestores culturais em todo o país_

O Itaú Cultural é a primeira instituição cultural privada no país a criar uma pós-graduação em gestão cultural. Por meio do Observatório Itaú Cultural – espaço de reflexão e pesquisa sobre o setor cultural –, há quase uma década o instituto oferece o curso de Especialização em Gestão e Políticas Culturais em parceria com a Cátedra Unesco de Políticas Culturais e Cooperação da Universidade de Girona, Espanha. Desde a sua criação, em 2008, já recebeu 10,5 mil inscrições dos mais diversos estados do país e atendeu mais de 360 alunos de todo o país, entre eles, secretários municipais e estaduais da Cultura, gestores culturais, lideranças das mais diversas unidades do Sesc.

 

O curso gratuito e inédito tem duração de um ano letivo, se estrutura por meio de aulas presenciais e virtuais e é dirigido pelo professor titular da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) Teixeira Coelho e pelo professor da Universidade de Girona e codiretor do Laboratório de Investigação e Inovação em Cultura e Desenvolvimento com sede na Colômbia e na Espanha, Alfons Martinell.

 

Cursos de 40 horas

Ainda no âmbito da gestão, foi criada a Semana de Gestão e Políticas Culturais, em que o instituto vai até as localidades. Desde a sua criação, em 2008, o curso de quarenta horas beneficiou cerca de três mil profissionais ligados às áreas culturais entre as 25 cidades por onde passou: São Luiz (MA), Porto Velho (RO), Boa Vista (RR), Rio Branco (AC), Salvador (BA), Aracaju (SE), Maceió (AL), João Pessoa (PB), Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Goiânia (GO), São Paulo (SP), Macapá (AP), Recife (PE), Bauru (SP), Ribeirão Preto (SP), Presidente Prudente (SP), Belo Horizonte (MG), Janaúba (MG), Feira de Santana (BA), Crato (CE) e Canoas (RS).

A proposta deste curso rápido é realizar uma formação de produtores e gestores culturais para que possam lidar melhor com as especificidades da gestão cultural, compreender as diversas demandas de sua região, e os desafios da atualidade.

 

Cátedra na USP

Em 2016, o Itaú Cultural criou a Cátedra Olavo Setubal, primeira na Universidade de São Paulo para discutir questões do universo das artes e da gestão cultural, além de temas científicos e sociais. Criada em parceria com o Instituto de Estudos Avançados (IEA/USP), com duração mínima de cinco anos, tem como primeiro titular o cientista político, filósofo, diplomata e primeiro titular da cátedra Sérgio Paulo Rouanet.

 

A previsão orçamentária total é de R$ 1,5 milhão, custeada pelo instituto. Para cada programa está prevista a dotação anual de R$ 150 mil. Trata-se de reconhecimento da dedicada atenção que o instituto tem dado à gestão e formação de política cultural e integra os dez anos do Observatório Itaú Cultural, celebrados esse ano.

 

O Observatório Itaú Cultural foi criado em 2006 com foco na gestão, na economia e nas políticas culturais e promove, desde então, estudos e debates desses temas, estimulando a reflexão sobre a cultura em seus vários aspectos e analisando os indicadores nacionais. Amplia a sua atuação e alcance com seminários, encontros e palestras; uma linha editorial de livros e da Revista Observatório, disponíveis gratuitamente na web; a promoção de pesquisas sobre o campo cultural além do curso de especialização em gestão cultural.