O Banco Itaú adquiriu, recentemente, uma grande quantidade de selos brasileiros. A coleção possui mais de 2 mil tipos e, com outros itens, ajuda a contar a história do Brasil ao longo dos séculos. Após esse acréscimo, o acervo passa a ser formado por cerca de 15 mil itens. Um recorte dele fica exposto no Espaço Olavo Setubal, dividido entre a Brasiliana Itaú e a Itaú Numismática.

As obras adquiridas pertencem a três diferentes séries. A primeira é a de “Carimbos Mudos” aplicados sobre selos do período imperial. Os desenhos dos carimbos eram feitos com talhos em rolhas ou pedaços de madeira, não continham nenhum tipo de inscrição e serviam para inutilizar os selos.

As outras duas séries de selos são chamadas “Vovó” e “Netinha”. A primeira foi lançada por volta de 1920, em um lote de grandiosa proporção. Com cores diversas, os selos desse período foram considerados alguns dos mais importantes do Brasil. Foram utilizados durante 20 anos, até que em 1941 se fez necessário o lançamento de uma nova série, que então ganhou o nome “Netinha”.

No momento, o material está em processo de catalogação.

Selos do período imperial com os “Carimbos Mudos” (foto: André Seiti)
Selos do período imperial com os “Carimbos Mudos” (foto: André Seiti)
Selos do período imperial com os “Carimbos Mudos” (foto: André Seiti)

 

Veja também