A mostra Moderna para Sempre – Fotografia Modernista Brasileira na Coleção Itaú Cultural já passou por oito estados brasileiros: Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco, Ceará, Pará e Distrito Federal. Desta vez, a exposição é exibida no Rio de Janeiro, ficando em cartaz no Paço Imperial até o dia 20 de novembro.

Veja também:
>> Caderno de atividades Moderna para Sempre
>> Quebra-cabeça Moderna para Sempre

Estão expostas obras de 31 fotógrafos modernistas brasileiros que também fizeram parte do movimento fotoclubista no Brasil, surgido no final da década de 1930. Entre esses artistas estão nomes como Geraldo de Barros, José Oiticica Filho, José Yalenti, Marcel Giró, Thomas Farkas e German Lorca. Vários dos trabalhos apresentados são inéditos fora do circuito fotoclubista.

Miragem, ca. 1950Sinfonia Industrial, 1975Fotoforma, Estação da Luz, 1949

Produzidas essencialmente entre 1940 e 1970, as imagens revelam a “nova fotografia” criada pelos artistas, a qual buscava romper com ideais estéticos. O curador da exposição, Iatã Cannabrava, conta que os fotógrafos eram exímios laboratoristas. “Nossos modernistas experimentaram os limites da alquimia fotográfica e os malabarismos criativos que o quarto escuro possibilita – levando para dentro dos laboratórios a eterna polêmica sobre linguagem e técnica dos limites da arte”, diz. A exposição destaca o caráter questionador da produção modernista: em seu cerne estão reflexões e provocações sobre a essência de um ato fotográfico que rompe paradigmas e atravessa décadas.

Moderna para Sempre – Fotografia Modernista Brasileira na Coleção Itaú Cultural no Rio de Janeiro (RJ)

Visitação
até domingo 20 de novembro de 2016
terça a domingo 12h às 19h
Paço Imperial – Praça XV de Novembro, 48 – Centro – Rio de Janeiro/RJ

Entrada gratuita