A escultora, pintora, desenhista e designer faleceu na noite desta terça (7), aos 90 anos.

Conhecida como “dama da contracultura brasileira” – a artista iniciou-se no mundo das artes na década de 1930, tendo como mestres Anita Malfatti, Yoshiya Takaoka, Waldemar da Costa e Vilanova Artigas.

Sua formação múltipla a tornou uma artista com a multiplicidade como característica: em formatos, materiais, técnicas. Uma das marcas de seu trabalho foi a experimentação – manipulava, por exemplo, objetos das mais diversas origens –, desde conchas e pedras até chapas de aço e gesso, além de testar diferentes técnicas de pintura. Amélia produziu até o fim da vida.

Nove obras da artista compõem o acervo de obras de arte do Banco Itaú. Além das que estão reunidas na galeria abaixo, integram o acervo os trabalhos Impulso de Quartzo Rosa (2001), Carapinha (1972/1974), Vermelhos (2001) e Azuis (2002).

Sem título, da série On/Off nº 3 (1974), Amélia Toledo | offset - foto: Sem título, da série On/Off nº 2 (1973), Amélia Toledo | offset - foto: Amarelo (1999), Amélia Toledo | têmpera acrílica sobre juta - foto: Amelia Toledo
Sem título, 1998
acrílica sobre aniagem - foto:

Amélia Toledo está sendo homenageada no Centro Cultural Banco do Brasil, em São Paulo, na mostra Lembrei que Esqueci, que relembra seus 60 anos de carreira.

Saiba mais sobre a artista e sua trajetória na Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras.