A edição de 2018 do Oceanos assinalou um recorde de livros concorrentes: 1.364 obras tiveram inscrição validada pela curadoria do prêmio, ampliando assim o número de 1.215 livros inscritos na edição de 2017.

Entre as categorias avaliadas pelo Oceanos, a poesia – com 576 livros – corresponde a 42,2% das inscrições. Os romances – 483 inscrições – representam 35,4% do total, os livros de contos – 206 inscrições – correspondem a 15,1%, seguidos por 78 volumes de crônicas (5,7%) e 21 obras de dramaturgia (1,5%). 

Segundo a curadoria do Oceanos – formada pela portuguesa Isabel Lucas e pelos brasileiros Manuel da Costa Pinto, Mirna Queiroz e Selma Caetano –, o aumento exponencial de mais de 500% no total de obras editadas no continente africano mostra a progressiva ampliação do Oceanos, que assim passa a contar com uma presença mais significativa da literatura em língua portuguesa, de países ligados pela história e pelo idioma.

Veja aqui os livros concorrentes

Em resposta ao crescimento no número de inscrições, a curadoria do Oceanos ampliou e diversificou seu corpo inicial de jurados graças a um aporte maior do Fundo de Fomento Cultural Português e ao apoio efetivo do Itaú Cultural: em 2018, o Júri de Avaliação será formado por 73 escritores, poetas, professores universitários, jornalistas e críticos literários – sendo 13 de Portugal, 7 de países da África e 53 do Brasil. 

Cada jurado terá acesso, via sistema, a 55 livros entre os inscritos para ler e avaliar – de modo que cada obra inscrita passe por três avaliações de diferentes jurados. 

Na etapa inicial, o Júri de Avaliação irá escolher 50 obras semifinalistas entre os inscritos (a ser divulgadas no início de agosto) e elegerá, entre si, os integrantes do Júri Intermediário – que escolherá os 10 finalistas – e do Júri Final – que vai determinar os 4 vencedores do Oceanos.

Veja aqui os componentes do Júri de Avaliação 

Veja aqui os membros da Curadoria 2018 

Veja aqui o Regulamento Oceanos 2018