Becos da Memória

Conceição Evaristo viveu a infância e parte da juventude na extinta favela do Pindura Saia, em sua Belo Horizonte natal. Hoje ocupado por um mercado, o espaço passou por um longo processo de desfavelamento promovido pelo governo municipal – e, em decorrência disso, Conceição e sua família se viram forçadas a deixar o local em 1971.

Mãe de Conceição, Joana Josefina Evaristo Vitorino acabou se mudando para uma casa em Contagem com seus outros filhos – Ademir, Aldair, Almir, Altair, Altamir, Maria Angélica, Maria de Lourdes e Maria Inês. A futura escritora e professora, por sua vez, se hospedou na residência de parentes e amigos até se fixar no Rio de Janeiro, em 1973.

Foi com base no cotidiano do Pindura Saia que Conceição criou o romance Becos da Memória – considerado por ela um trabalho de ficcionalização da memória. Finalizada em 1988, a obra só foi publicada em 2006, após o lançamento do livro de estreia da autora, Ponciá Vicêncio (2003).

Seção de vídeo

BECOS DA MEMÓRIA

Conceição Evaristo percorre o espaço onde ficava a favela do Pindura Saia, na região central de Belo Horizonte. Foi com base nas lembranças de sua infância e juventude vividas na comunidade que a autora criou o romance Becos da Memória (2006).

Compartilhe

Seção de vídeo

MEMÓRIA

Macaé Evaristo, secretária de Educação do Estado de Minas Gerais, e a professora Mara Evaristo – ambas primas de Conceição Evaristo – falam sobre a maneira como a escritora aborda a realidade e a memória em sua obra.

Compartilhe

Seção de vídeo

DE BELO HORIZONTE PARA O RIO DE JANEIRO

O casal Maria Regina Pilati Pereira e Waldemar Euzébio Pereira recordam o período de intensa convivência com Conceição Evaristo, entre 1971 – quando a futura escritora e sua família foram desalojadas da favela do Pindura Saia, em Belo Horizonte – e 1973 – ano em que Conceição se mudou para o Rio de Janeiro.

Compartilhe

Primeira versão do poema "Mineiridade", ainda sem título. Sua publicação foi feita em 1990, na coletânea Cadernos Negros (volume 13)