Ocupação

O Itaú Cultural apresenta o projeto Ocupação, criado para fomentar o diálogo da nova geração de artistas com os criadores que os influenciaram. O evento integra o trabalho perene do instituto com programas como o Rumos, que há 12 anos incentiva a produção contemporânea colaborando para o aprimoramento de criadores, a difusão de suas obras e a reflexão sobre a arte atual. A preservação da memória artística também faz parte dessa atuação, com as enciclopédias abrigadas no site itaucultural.org.br, que disponibilizam dados biográficos, imagens, vídeos e textos analíticos sobre profissionais das artes visuais, do teatro, do cinema, da literatura e das artes tecnológicas.

O que faz um artista ser referência? No caso de Nelson Leirner, que ocupa a primeira edição do projeto, destacam-se, entre outros aspectos, a atuação acadêmica. Por mais de 20 anos, Leirner participou do processo de formação de toda uma geração criativa, que, semelhante ao mestre, tem representatividade nacional e internacional. Atualmente, permanece como farol para sua classe ao continuar criando e explorando as fronteiras entre a representação popular e a arte consagrada.

A exposição é uma oportunidade para que vários perfis de público tomem contato com o artista, por meio da remontagem de obras históricas, exibidas ao lado de trabalhos recentes. É também um espaço para que a instituição direcione sua ação educativa para o aprofundamento e a compreensão do papel de artistas como Leirner, que “formam opinião” sobre a arte, seus movimentos e períodos.

Além das artes visuais, Ocupação vai apresentar, neste ano, referências em outras áreas de expressão. A próxima edição será protagonizada por Zé Celso Martinez Corrêa, um dos encenadores mais abertos a ideias ousadas e renovadoras da linguagem teatral.

Itaú Cultural