Ocupação

Na trama de Zuzu Angel

O projeto Ocupação, do Itaú Cultural, chega à 17ª edição com exposição, performances, mostra de cinema e encontros com estilistas, resgatando a memória de uma das mulheres mais singulares da nossa história, Zuzu Angel – Zuleika Angel Jones (Curvelo, MG, 1921 – Rio de Janeiro, RJ, 1976).

Responsável pela gênese da moda brasileira, empresária pioneira, artista de êxito e mulher sensível às transformações da sociedade, no auge do sucesso Zuzu direcionou sua vida e obra para a busca pela verdade sobre o desaparecimento do filho – Stuart Angel Jones, torturado e morto pela ditadura militar aos 26 anos –, determinando, assim, a própria morte.

A moda, importante segmento de reflexão da cultura, está pela primeira vez na pauta da Ocupação, que inova ao se espalhar por diferentes espaços e propor uma exposição em movimento: os vestidos criados por Zuzu desfilam em modelos e atrizes, que também dão voz às cartas que ela enviava na incessante busca por Stuart.

Como Zuzu era múltipla, a mostra se propõe diversa e retrata momentos e locais distintos. As origens em Curvelo, a passagem pela Bahia e a chegada ao Rio de Janeiro. A água onde nadava, o céu de Minas Gerais, as espadas-de-são-jorge. O ateliê, a boutique, a carreira internacional; as coleções, as estampas. O apuro do marketing e da comunicação. A militância. Os anjos, o luto e a luta.

Ganha relevo – com os 50 anos do golpe – a transformação do trabalho de Zuzu em denúncia à atroz repressão do governo, que corrompeu liberdades individuais e promoveu violência e mortes.

Assim como sua moda, os protestos de Zuzu ultrapassaram as fronteiras do país. Em 1976, ela sofreu uma emboscada fatal.

A reinvenção de si mesma constitui a força da trama narrativa de fatos, tempos, lugares, verdades e mitos criados em torno da vida de Zuzu Angel. Esta Ocupação é mais um fio dessa trama.

Itaú Cultural