“Luta incansável e prazer infinito.” Assim Rodolfo García Vázquez resume os 25 anos da companhia Os Satyros, criada por ele em 1989, ao lado de Ivam Cabral. Para comemorar essa trajetória importante, o Itaú Cultural pensou, juntamente com o grupo, em uma programação especial que vai de 29 de outubro a 2 de novembro.

“Vamos apresentar aspectos diferentes da nossa produção dos últimos tempos, oferecendo um panorama bastante abrangente”, conta Rodolfo.

José Sampaio em cena de AdormecidosCena de Adormecidos, com os atores José Sampaio e Luiza GottschalkBárbara Salomé e Breno da Matta integram o elenco de Mitos Indígenas, atração do dia 2 de novembroGutho Vieira, Livia Prestes e Breno da Matta em cena de Mitos IndígenasCléo de Páris em frame do filme sobre Os SatyrosAlberto Guzik no documentário de Evaldo Mocarzel sobre Os Satyros

Atração do dia 29 de outubro, às 20h, a peça Pessoas Perfeitas integra também a programação do De Vez em Quarta, Teatro, que acontece no Itaú Cultural desde maio.

Na quinta-feira 30 de outubro, acontece um debate com os fundadores da companhia Os Satyros, também às 20h. Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez vão falar sobre as várias fases pelas quais passaram, tanto no Brasil quanto no exterior, e sobre o impacto que essas experiências tiveram sobre a estética do grupo.

Os Satyros, documentário de Evaldo Mocarzel que conta os 25 anos do grupo teatral paulista, terá sua primeira exibição pública na sexta-feira dia 31 de outubro, às 20h. “O filme é de 2009, mas somente agora se encontra finalizado e editado para exibição”, explica Rodolfo García Vázquez. “Ele traz entrevistas com alguns dos principais integrantes do grupo e conta com uma raridade, que é a última entrevista de Alberto Guzik falando sobre Os Satyros”, completa.

Rodolfo García Vázquez, aliás, adianta que cinema é o atual grande interesse do grupo. “Começamos a trabalhar com cinema agora. Nosso primeiro longa de ficção acaba de estrear na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. É o primeiro de muitos passos que queremos dar nos caminhos da sétima arte”, diz.

Encerrando a programação, nos dias 1o e 2 de novembro serão apresentadas mais duas peças: Adormecidos e Mitos Indígenas. Com base no texto do norueguês Jon Fosse, Adormecidos, destaque do dia 1o, fala do relacionamento entre casais e seus desdobramentos, destacando a forma como cada pessoa projeta as próprias aflições e anseios em seu parceiro.

No dia 2, Mitos Indígenas, projeto patrocinado pelo Banco Itaú, é uma montagem infantojuvenil, tipo de espetáculo na carreira do grupo Os Satyros que “muitas pessoas desconhecem”, como ressalta Vázquez. “Temos um público muito abrangente e amplo. A depender do espetáculo, temos um perfil completamente diferente de um espetáculo para o outro. Mas podemos dizer que jovens são nosso público-base”, conclui.

Veja todos os detalhes das atrações na aba Programação.