Na música, instrumentos e voz se unem e, ao mesmo tempo, se revezam, sempre com muita harmonia. As apresentações musicais que acontecem no Itaú Cultural nos dias 19, 20 e 21 de agosto destacam esse jogo, no qual ora o destaque é o canto, ora é o arranjo dos instrumentos – ou, ainda, a combinação dos dois.

No dia 19, a atriz e percussionista Nath Calan dá início à programação com um espetáculo de música cênica, misturando música e teatro. No show, a artista toca instrumentos de percussão ao mesmo tempo que recita textos e interpreta personagens.

Nath, que é também professora da Escola do Auditório e integra o corpo da orquestra Bachiana Filarmônica Sesi/SP, realiza intensa pesquisa em música cênica. No espetáculo, sob luzes e projeções, a percussionista utiliza instrumentos como o vibrafone, a conja, o djembê e o pandeiro para interpretar composições de Vinko Globokar, Thierry De Mey e Tim Rescala enquanto recita obras de Nelson Rodrigues e Bertold Brecht.

Aos 30 anos, Rebetez lança seu primeiro cd, intitulado O Corpo de DentroJunto do pianista Pepe Cisneros, Cozza faz homenagem ao músico e compositor cubano Bola de NieveNo show de Nath Calan, teatro e percussão se misturam

Já no sábado dia 20, o guitarrista e compositor paulista Lourenço Rebetez apresenta o seu álbum de estreia, O Corpo de Dentro. Todo instrumental, o disco destaca o trabalho de arranjador do artista, coordenando até 13 músicos de um modo que foge do convencional.

Formado em composição de jazz na Faculdade de Música de Berklee, em Boston (Estados Unidos), Rebetez não compõe como a maioria dos músicos, que primeiro constroem uma melodia única para depois encaixar outros instrumentos como complemento. Nas músicas dele, nada é decorativo e há várias linhas melódicas com o mesmo peso. O que Rebetez realiza é, na verdade, uma orquestração dos instrumentos, que se revezam sem protagonismo.

Nomes como Duke Ellington, Moacir Santos, Gil Evans e Charles Mingus são influências de Rebetez, principalmente no que diz respeito ao estilo de composição. Na sonoridade, o músico de São Paulo tem também outras referências importantes que temperam seu jazz elaborado. Com familiares baianos, o guitarrista coloca na sua música traços de ritmos de origem africana, do âmbito do candomblé, como o vassi, o opanijé, o aguerê e o barravento.

Na apresentação no Itaú Cultural, todos os instrumentistas que participaram do álbum O Corpo de Dentro sobem ao palco: ao lado de Rebetez, são três percussionistas, seis sopros e um trio de jazz.

Por fim, no domingo 21, o cantor e compositor cubano Ignacio Jacinto Villa Fernández – mais conhecido como Bola de Nieve – é homenageado em um espetáculo intenso, com Fabiana Cozza nos vocais e o também cubano Pepe Cisneros no piano. Intitulado Canto Teatral para Bola de Nieve, o show é dirigido por Elias Andreato, que dispõe as músicas do repertório de modo a contar a história de Bola.

O músico, que era pianista de Rita Montaner, chegou à fama de modo inesperado. Certa vez, durante uma turnê, a cantora ficou doente e Bola foi obrigado a realizar o show em seu lugar. A partir de então, o artista disparou, fazendo sucesso sobretudo no México. Em seu país natal não foi tão reconhecido, uma vez que era constantemente discriminado por ser negro e homossexual. Divertido, paquerador e debochado, Bola cantava, paradoxalmente, canções de amor melancólicas, com muita dramaticidade. Na apresentação no Itaú Cultural, na hora de interpretar as canções, a cantora Fabiana Cozza aproveita sua formação teatral para destacar esses aspectos da personalidade do cantor, através de pausas, olhares e gestos.

No repertório estão canções de autoria do próprio Bola, como “No Me Comprendes” e “Ay, Amor”, e de outros compositores, como “Vete de Mi” (Virgilio Expósito e Homero Expósito), “Devuélveme Mis Besos” (María Greever) e “Mesié Julián” (Armando Oréfiche). As músicas são intermeadas com textos declamados por Fabiana: escritos de Oscar Wilde, Ferreira Gullar e Cecília Meireles, recitados em espanhol, e poema de Castro Alves, em português.

Nath Calan
sexta 19 de agosto de 2016
às 20h
[duração aproximada: 80 minutos]
Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 247 lugares

Entrada gratuita

[distribuição de ingressos
público preferencial: duas horas antes do espetáculo
público não preferencial: uma hora antes do espetáculo]

[livre para todos os públicos]

Lourenço Rebetez
sábado 20 de agosto de 2016
às 20h
[duração aproximada: 80 minutos]
Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 247 lugares

Entrada gratuita

[distribuição de ingressos
público preferencial: duas horas antes do espetáculo
público não preferencial: uma hora antes do espetáculo]

[livre para todos os públicos]

Canto Teatral para Bola de Nieve – Fabiana Cozza e Pepe Cisneros
domingo 21 de agosto de 2016
às 19h
[duração aproximada: 80 minutos]
Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 247 lugares

Entrada gratuita

[distribuição de ingressos
público preferencial: duas horas antes do espetáculo
público não preferencial: uma hora antes do espetáculo]

[classificação indicativa: 12 anos]