eventos

Dança de São Paulo

Espetáculo "Terreiro Urbano", com a cia. Treme Terra, abre a programação

De 4 a 26 de março, a dança de São Paulo – suas manifestações em várias regiões da cidade e em diversas épocas – está em foco no Itaú Cultural. São nove espetáculos, entre trabalhos de grupo e solos. Participam Cia. Treme Terra, Jorge Garcia Companhia de Dança e o Grupo Zumb.Boys, assim como os dançarinos Key Sawao, Juliana Moraes, Elisabete Finger, Eduardo Fukushima, Ângelo Madureira, Diogo Granato e Henrique Lima.

Veja na aba Programação mais detalhes.

Dança em São Paulo
de sábado 4 a domingo 26 de março

Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 247 lugares
[distribuição de ingressos
público preferencial: duas horas antes do evento | com direito a um acompanhante
público não preferencial: uma hora antes do debate | um ingresso por pessoa]

  • 04
    • /Terreiro Urbano

      Sábado - 20:00

      com Cia. Treme Terra
      sábado 4 de março
      às 20h

      Com direção de João Nascimento e cenografia de Firmino Pitanga, a companhia encena uma cerimônia tradicional do candomblé, o xirê, realizada em honra de todos os orixás. A música mescla tambores africanos (atabaque, agogô, xequerê, adjá, berimbaus, surdos) e tambores feitos com sucata, além de flauta, violoncelo, violão, violino, teclado e sintetizadores.

      Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 247 lugares
      [duração aproximada: 60 minutos]
      [classificação indicativa: 12 anos]
      [distribuição de ingressos
      público preferencial: duas horas antes do evento | com direito a um acompanhante
      público não preferencial: uma hora antes do evento | um ingresso por pessoa]

    • Participantes

      • Treme Terra

        O Treme Terra foi fundado em 2006, no Morro do Querosene, no bairro do Butantã, em São Paulo, e realiza um trabalho de valorização e difusão da cultura afro-brasileira. 

  • 05
    • /Imprimi Potest

      Domingo - 19:00

      com Jorge Garcia Companhia de Dança
      domingo 5 de março
      às 19h

      Imprimi Potest significa “pode ser impresso” e trata-se do selo aplicado pela Igreja Católica a obras que tinham sido aprovadas para publicação. A montagem, dirigida e coreografada por Jorge Garcia, trabalha com as ideias de liberdade e transformação, procurando “investigar e reestruturar o espaço cênico”, segundo o autor.

      Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 247 lugares
      [duração aproximada: 60 minutos]
      [classificação indicativa: 12 anos]
      [distribuição de ingressos
      público preferencial: duas horas antes do evento | com direito a um acompanhante
      público não preferencial: uma hora antes do evento | um ingresso por pessoa]

    • Participantes

      • Jorge Garcia

        Jorge Garcia criou a companhia que leva seu nome em 2005, após passagens pela Cisne Negro Cia. de Dança e pelo Balé da Cidade de São Paulo. Também fundou o grupo Gentleman de Rua (Grua) e executou trabalhos independentes.

  • 09
    • /Experiência 3

      Quinta-Feira - 20:00

      com Key Sawao
      quinta 9 de março
      às 20h

      A peça foi criada a partir de um pensamento sobre a “coexistência de tempos no corpo” e a relação entre linguagem, imaginário e criação. A dançarina Key Sawao compõe a coreografia ao mesmo tempo que a baterista Mariá Portugal faz a música, afetando-se mutuamente. A montagem continua uma pesquisa dos Estudos de Movimento (1, 2 e 3).

      Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 247 lugares
      [duração aproximada: 60 minutos]
      [classificação indicativa: 12 anos]
      [distribuição de ingressos
      público preferencial: duas horas antes do evento | com direito a um acompanhante
      público não preferencial: uma hora antes do evento | um ingresso por pessoa]

    • Participantes

      • Key Sawao

        Key Sawao é bailarina, diretora e coreógrafa. Formada em dança contemporânea e práticas orientais de movimento, criou, dirige e integra o núcleo Keyzetta e cia. Pesquisa as relações entre o corpo, a memória e a imaginação, os fluxos de movimento no corpo, a percepção do tempo e suas variações e as possibilidades da comunicação.

  • 10
    • /Desmonte

      Sexta-Feira - 20:00

      com Juliana Moraes
      sexta 10 de março
      às 20h

      Desmonte é fruto de uma experiência dolorosa: o solo começou a ser desenvolvido quando o parceiro de Juliana e codiretor da peça, Gustavo Sol, enfrentou uma doença. Essa situação, somada à leitura de O Diário de Nijinski, escritos do bailarino Vaslav Nijinski que registra sua debilitação por transtornos mentais, acabou gerando um espetáculo que investiga a dor do outro, a fala e o gesto, a entrega e o controle.

      Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 247 lugares
      [duração aproximada: 60 minutos]
      [classificação indicativa: 12 anos]
      [distribuição de ingressos
      público preferencial: duas horas antes do evento | com direito a um acompanhante
      público não preferencial: uma hora antes do evento | um ingresso por pessoa]

    • Participantes

      • Juliana Moraes

        Juliana Moraes é intérprete, coreógrafa, diretora e curadora. Tem mestrado e especialização em dança pelo Laban Centre, em Londres, na Inglaterra. É professora de performance do Centro Universitário Belas Artes, de São Paulo, e professora convidada do bacharelado em teatro físico da Scuola Teatro Dimitri, de Verscio, na Suíça. Foi selecionada do Rumos Dança 2006/2007, com Anderson Gouvêa.

  • 23
    • /Amarelo e Entre Contenções

      Quinta-Feira - 20:00

      quinta 23 de março
      às 20h

      Amarelo
      com Elisabete Finger

      Uma experiência sensorial entre massa, pele, plástico, espinhos, goiabada; entre toque, gosto, cheiro. Neste espetáculo, a artista procura pensar o corpo em relação a outros corpos, imerso em experiências que geram “formas e imagens de passados e futuros possíveis”. A obra foi selecionada do Rumos Dança 2006/2007.
       

      Entre Contenções 
      com Eduardo Fukushima

      O artista desenha por meio de gestos para explorar as possibilidades de comunicação do movimento, delineando os limites da expressão verbal. Lançada em 2008, recebeu o Prêmio Funarte Klauss Viana.
       

      Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 247 lugares
      [duração aproximada: 60 minutos]
      [classificação indicativa: 12 anos]
      [distribuição de ingressos
      público preferencial: duas horas antes do evento | com direito a um acompanhante
      público não preferencial: uma hora antes do evento | um ingresso por pessoa]

    • Participantes

      • Elisabete Finger

        Elisabete Finger é performer e coreógrafa. Foi bolsista-residente da Casa Hoffmann, espaço de Curitiba, no Paraná, em 2004. Cursou duas formações com nível de mestrado: o Essais – Artiste Chorégraphe, do Centre National de Danse Contemporaine d’Angers, na França, de 2005 a 2006; e o programa Solo/Dance/Authorship (Soda), pelo Centro Inter-Universitário de Dança (HZT, na sigla alemã), em Berlim, na Alemanha, em 2012. Apresenta, em parceria com o Itaú Cultural, o Discoreografia – Música, Dança e Blá-Blá-Blá.

      • Eduardo Fukushima

        Eduardo Fukushima é coreógrafo, dançarino e professor, formado em dança pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). 

  • 24
    • /Delírio

      Sexta-Feira - 20:00

      com Ângelo Madureira
      sexta 24 de março
      às 20h

      No Frevo Capoeira e Passo, de Waldemar de Oliveira, Ângelo Madureira encontrou a noção de que “o frevo é a música e o passo é a dança” e se perguntou: “Se tirar a música do frevo, o que se dança?”. Delírio é o resultado desse questionamento, um solo lúdico de bateria em que o rock progressivo substitui a sonoridade de origem pernambucana.

      Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 247 lugares
      [duração aproximada: 60 minutos]
      [classificação indicativa: 12 anos]
      [distribuição de ingressos
      público preferencial: duas horas antes do evento | com direito a um acompanhante
      público não preferencial: uma hora antes do evento | um ingresso por pessoa]

    • Participantes

      • Ângelo Madureira

        Ângelo Madureira é bailarino e coreógrafo. Desde 2000, realiza com a também dançarina Ana Catarina Vieira pesquisa em dança.

  • 25
    • /Graxa

      Sábado - 20:00

      com Diogo Granato e Henrique Lima
      sábado 25 de março
      às 20h

      A partir dos sentidos da graxa – sua capacidade de adesão, sua viscosidade, sua resistência –, o espetáculo explora o encontro entre os corpos, sobrepondo o improviso cênico de Diogo Granato à coreografia contemporânea de Henrique Lima.

      Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 247 lugares
      [duração aproximada: 60 minutos]
      [classificação indicativa: 12 anos]
      [distribuição de ingressos
      público preferencial: duas horas antes do evento | com direito a um acompanhante
      público não preferencial: uma hora antes do evento | um ingresso por pessoa]

    • Participantes

      • Diogo Granato

        Diogo Granato é criador e intérprete dos solos de dança/teatro Aretha (em 2006, Prêmio de Melhor Intérprete pela Associação Paulista de Críticos de Arte), Seis Sentidos? e Sketchbook. É um dos fundadores da Cia. Nova Dança 4 e diretor do Silenciosas + GT’Aime. É membro do Le Parkour Brasil, grupo pioneiro do parkour e do freerunning no Brasil.

      • Henrique Lima

        Henrique Lima é dançarino, coreógrafo e diretor artístico. Sua formação abrange as danças populares africanas, a dança contemporânea e a percussão. Trabalhou com as companhias Balé Popular do Recife, Compassos Cia. de Dança, Vias da Dança, Cisne Negro Cia. de Dança, Balé da Cidade de São Paulo, Quasar Cia. de Dança, J.Gar.Cia, Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo, Grua – Corpos de Passagem, Omstrab e Pultz Teatro Coreográfico. 

  • 26
    • /O que se Rouba

      Domingo - 19:00

      com Grupo Zumb.Boys
      domingo 26 de março
      às 19h

      Com direção de Márcio Greyk, a montagem analisa o querer ter, seja bens materiais, seja bens imateriais. Possuir, pertencer a algum lugar, ser parte de algo – a peça questiona a necessidade de apropriar-se de ideais e pessoas. Trata, com isso, de consumismo e roubo.

      Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 247 lugares
      [duração aproximada: 60 minutos]
      [classificação indicativa: 12 anos]
      [distribuição de ingressos
      público preferencial: duas horas antes do evento | com direito a um acompanhante
      público não preferencial: uma hora antes do evento | um ingresso por pessoa]

    • Participantes

      • Zumb.Boys

        O Zumb.Boys surgiu na zona leste de São Paulo em 2004 com os objetivos de pesquisar, desenvolver reflexões e proporcionar vivências por meio da dança.