eventos

Oscar Niemeyer: clássicos e inéditos

A mostra traz projetos tradicionais de Niemeyer e outros raros, que permaneceram no papel (Foto: Juliana Zucolotto/Fundação Oscar Niemeyer)

Um dos personagens mais influentes da arquitetura moderna mundial, Oscar Niemeyer tornou-se ícone de uma época e de um estilo. Em reconhecimento a esse artista, o Itaú Cultural inaugura no dia 4 de junho a exposição Oscar Niemeyer: clássicos e inéditos ‒ uma seleção de projetos e materiais raros sobre obras clássicas, além de fotografias e maquetes.

Com curadoria de Lauro Cavalcanti e expografia de Pedro Mendes da Rocha, além dos trabalhos em si, a mostra examina o processo de criação de Niemeyer, possibilitando uma percepção única de sua produção. “O objetivo é revelar projetos inéditos que, por vários motivos, permaneceram no papel e, agora, são trazidos ao público por um extenso trabalho de pesquisa e digitalização de originais”, destaca Lauro.

Os desenhos de Oscar Niemeyer provêm, em sua grande maioria, de cadernos de trabalhos não executados. Eles nos permitem ver a metodologia do arquiteto e entender um pouco mais de seu modo de conceber, desenhar, escrever e, em alguns casos, acompanhar o desenvolvimento dos projetos. Com patrocínio do Itaú Unibanco, a Fundação Oscar Niemeyer realizou a digitalização de 4.800 desenhos e croquis originais de seu acervo, e parte desse material está presente na mostra.

Entre os materiais jamais expostos estão os originais do conjunto de 20 croquis preparados por Oscar Niemeyer, em 1997, para ser multiplicados e percorrer universidades de todo o país, e cópias heliográficas da sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, interferidas por traços de lápis de cor.

Merece atenção especial o projeto da cidade de Negev, em Israel, desenhada em 1964, apenas três anos após a inauguração de Brasília. Com características praticamente opostas à capital brasileira, Niemeyer tira completamente o protagonismo do automóvel, adota a verticalidade nas habitações e estabelece distâncias entre casa, trabalho e lazer que possam ser percorridas a pé, como numa antiga cidade medieval.

Alguns dos maiores símbolos arquitetônicos de São Paulo – Copan, Memorial da América Latina e marquise do Parque Ibirapuera – foram produzidos na prancheta de Oscar Niemeyer, assim a exposição dedica um de seus espaços à relação do arquiteto com a cidade. Será possível acompanhar o raciocínio do arquiteto na criação de espaços urbanos. Entre as décadas de 1930 e 1990, Niemeyer projetou construções como o Centro Técnico da Aeronáutica (1947), o Clube dos 500 (1950), a fábrica da Duchen (1950) e a sede da Companhia Energética de São Paulo [Cesp (1979)].

Oscar Niemeyer: clássicos e inéditos
quinta 5 de junho a domingo 27 de julho de 2014
abertura: quarta 4 de junho às 20h
terça a sexta das 9h às 20h; sábados, domingos e feriados das 11h às 20h
Piso 1, -1 e -2

Entrada franca
[livre para todos os públicos]

  • 08
    • /RODAS DE CONVERSA - Relações entre as Artes e a Arquitetura Moderna

      Domingo - 16:00

      Bate-papos descontraídos sobre temas ligados à exposição.

  • 14
    • /OFICINAS - Cidades Imaginárias

      Sábado - 15:00

      Com base em textos escritos por Niemeyer e por autores como Italo Calvino, os participantes são convidados para imaginar e desenhar cidades, explorando sua capacidade de invenção em arquitetura.

      piso -1 20 vagas por encontro
      [duração aproximada 120 minutos]
      [inscrições 30 minutos antes do início da atividade]
      [informações pelo telefone 11 2168 1876 – de terça a sexta, das 9h às 20h – ou no
      balcão de atendimento ao público]

  • 15
    • /RODAS DE CONVERSA - Modernidade Ontem, Hoje e Amanhã

      Domingo - 16:00

      Bate-papos descontraídos sobre temas ligados à exposição.

  • 22
    • /RODAS DE CONVERSA - Arquitetura Moderna no Brasil e suas Influências

      Domingo - 16:00

      Bate-papos descontraídos sobre temas ligados à exposição.

  • 29
    • /RODAS DE CONVERSA - Diálogos entre a Arquitetura e as Questões Sociais, de Acordo com Niemeyer

      Domingo - 16:00

      Bate-papos descontraídos sobre temas ligados à exposição.