No dia 17 de agosto o compositor e cantor paulista Kleber Albuquerque e o cantor brasiliense Rubi apresentam no Itaú Cultural o show Contraveneno. No repertório fica clara a influência da música caipira e das duplas sertanejas comuns à infância dos dois artistas.

Para além do mergulho interior, tanto no sentido geográfico quanto no sentimental, Contraveneno elege um repertório de canções com alta densidade poética, com letras que dialogam de forma crítica em relação ao momento atual, revitalizando a assim chamada “linguagem da fresta” em temas como a própria “Contraveneno”, música que dá título ao show.

Kleber e Rubi interpretam em dueto clássico canções como “Eta Nóis”, de Luhli e Lucina, “Como la Cigarra”, da poeta argentina Maria Elena Walsh, e “Castelo de Amor”, antigo sucesso popular gravado pelo Trio Parada Dura – além de temas inéditos, como “Milonga da Noite Preta”, de Kleber Albuquerque, “Cantiga de Não Chegar”, “Cerol” e “Contraveneno”, parcerias de Kleber com o poeta e produtor Flávvio Alves.

Acompanhados pelo multi-instrumentista e produtor Rovilson Pascoal (violões, guitarra e ukulele) e por Mário Manga (cello), Kleber e Rubi ainda se revezam em alguns momentos solo, nos quais interpretam músicas de suas carreiras individuais.

Rubi e Kleber Albuquerque
quinta 17 de agosto de 2017
às 20h
[duração aproximada: 80 minutos]
Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 224 lugares

Entrada gratuita

distribuição de ingressos
público preferencial: duas horas antes do espetáculo | com direito a um acompanhante – ingressos liberados apenas na presença do preferencial e do acompanhante
público não preferencial: uma hora antes do espetáculo | um ingresso por pessoa

[livre para todos os públicos]

Clique aqui para saber mais sobre a distribuição de ingressos.

Veja também
Highlight large guilherme moscardini por gabriel arruda

Guilherme Moscardini

Músico paulista apresenta o show Coisa Boa a Gente Espalha
onde: Itaú Cultural

Rubi - Rumos Música (2008)

O cantor Rubi fala sobre o ator de cantar, sobre sua formação e trajetória. Canta ainda "Oração do Anjo", de Ceumar e Mathilde Kóvak. ...