por Leticia de Castro

Foi de um encontro entre a Marimbanda, tradicional grupo instrumental do Ceará, e o músico carioca Carlos Malta que surgiu o projeto Epifania Kariri. A ideia era criar um espetáculo que unisse uma sonoridade regional tradicional brasileira com a música mais urbana e cosmopolita dos artistas. “Achamos interessante incluir a rica tradição oral dos cabaçais do Ceará, os quais Carlos Malta tem reverenciado tanto no Pife Muderno [banda criada por ele em 1994 com músicos como Marcos Suzano e Andrea Ernest Dias] quanto nos seus próprios shows”, diz Rosina Popp, produtora da Marimbanda. Decidiram, então, convidar os Irmãos Aniceto, centenário cabaçal do Crato, para se juntar à iniciativa.

Um dos projetos aprovados na mais recente edição do Rumos Itaú Cultural, Epifania Kariri levará para os palcos do Rio de Janeiro e do Ceará o encontro inédito das bandas cearenses com o músico carioca, em um show com 12 números musicais, dos quais oito são de autoria dos Irmãos Aniceto, com arranjos da Marimbanda e de Malta. “Os Irmãos Aniceto são músicos com conhecimentos teóricos básicos, mas com uma sabedoria musical centenária. O processo de criação deles é baseado nas melodias tradicionais, nos sons da natureza, nas danças e nos folguedos do Nordeste, tudo de ouvido, o que proporciona um charme arcaico que pretendemos misturar com o refinamento da Marimbanda e do Carlos Malta”, conta Rosina.

A apresentação terá ainda quatro músicas da Marimbanda e de Carlos Malta sem os Irmãos Aniceto, e duas dos irmãos sem acompanhamento. Os shows estão marcados para os dias 12 de dezembro, na Sala Baden Powell, no Rio, e 25 de janeiro, no Theatro José de Alencar, em Fortaleza, onde será gravado um DVD.

Criada em 1999, na capital cearense, a Marimbanda é formada por Luizinho Duarte (bateria), Heriberto Porto (flautas), Miqueias dos Santos (contrabaixo) e Thiago Almeida (piano). Mais aclamado grupo de música instrumental em atividade no Ceará, tem nos ritmos brasileiros a grande inspiração para seu repertório, que mistura baião, frevo, samba, choro, bossa nova e jazz.

Também desse estado, mas da cidade do Crato, vem a Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto, que já contabiliza mais de 200 anos de estrada, uma tradição passada ao longo de gerações. Descendentes de índios Cariri, os Aniceto carregam a ancestralidade em sua sonoridade, formada por pifes, caixas, zabumba e pratos. O grupo já se apresentou em todo o Brasil, na França e em Portugal.

Já o multi-instrumentista, compositor, orquestrador, educador e produtor Carlos Malta é o representante do Sudeste do país. Carioca, tocou com músicos como Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, Caetano Veloso, Pat Metheny e Bob McFerrin. Para preparar o grande show, os artistas farão uma imersão de quatro dias no Crato, de 26 a 29 de novembro, onde também se apresentarão.

Veja também

Ocupação Ilê Aiyê

Exposição resgata e homenageia trajetória do primeiro bloco afro do Brasil
onde: Itaú Cultural