Nos dias 2 e 3 de agosto, o Itaú Cultural será um grande picadeiro eclético. Inspirado no universo dos palhaços, assim como na atmosfera das HQs tocantinenses e em músicas eruditas, Gibi, da Lamira Artes Cênicas, conta a história de quatro palhaços adormecidos que descobrem nas histórias em quadrinhos toda a magia de que precisam para as suas diversões.

O processo de montagem do espetáculo deu continuidade à pesquisa da Lamira para o desenvolvimento de uma linguagem estética de criação em artes cênicas, agregando as linguagens do teatro, da dança e do circo e buscando, na fisicalidade, um ponto de interseção.

Gibi é Inspirado no universo dos palhaços, assim como na atmosfera das HQsGibi será apresentado dias 2 e 3 de agosto

Em sua criação, Gibi agregou importantes nomes artísticos das mais diversas áreas: João Vicente (que já passou pelo Quasar e pelo Grupo Corpo) assina a coreografia, a direção artística e o cenário; Fernando Yamamoto (diretor de um dos principais grupos do Teatro Nordestino, o Clowns de Shakespeare, do Rio Grande do Norte) é o diretor teatral; Adelvane Néia (uma das principais formadoras de palhaços do Brasil) assina a direção de clown; Geuvar Oliveira (um dos principais nomes em quadrinhos tocantinenses) assina a consultoria de linguagens de HQs.

 

Gibi
sábado 2 e domingo 3 de agosto de 2014
às 16h
duração: 40 minutos (aproximadamente)
Sala Itaú Cultural – 249 lugares

Entrada franca – ingressos distribuídos com meia hora de antecedência

[livre para todos os públicos]