12 texto

O documentário Território Coletivo, produção do Itaú Cultural, será exibido no dia 20 de outubro. Dirigido por Andréia Briene, Rafael Figueiredo e Karina Fogaça, o longa retrata o cotidiano de alguns coletivos teatrais da periferia da Grande São Paulo a fim de compreender o funcionamento das dinâmicas de gestão cultural desses grupos e como eles dialogam com a comunidade em que estão inseridos.

Filmado no final de 2016, o documentário traz depoimentos de artistas do Coletivo Estopô Balaio e do Grupo Pombas Urbanas, ambos da zona leste paulistana, e também da Capulanas Cia. de Arte Negra, da zona sul da cidade. Um dos critérios de escolha dos grupos é que eles são pertencentes a regiões marginalizadas da capital, nas quais o contato com outras áreas acaba sendo colocado em segundo plano, conforme explica Rafael: “Queríamos entender como funcionavam esses coletivos e, principalmente, como se relacionavam com a comunidade local, pois estão localizados em regiões periféricas e são a referência de arte e cultura para as comunidades”.

A produção de arte em áreas periféricas possui em suas raízes aspectos bastante particulares de acordo com cada comunidade, o que resulta não só em uma diversidade na expressão artística, mas também na abordagem de temas importantes para cada local, como problemas recorrentes e necessidades específicas. Um exemplo do tamanho que esses coletivos e eventos podem adquirir é o Sarau do Binho, que desde os anos 1990 promove atividades culturais com frequência cada vez maior e atualmente conquistou espaço fora de onde nasceu.

Território Coletivo evidencia aspectos da relação entre grupos como os abordados, o Estado e as pessoas. “Apesar de todo o resultado positivo e o fortalecimento da comunidade, os problemas são imensos”, diz Andréia sobre os obstáculos identificados durante a produção do filme. A obra integra uma série de três documentários produzidos pelo Itaú Cultural que investigam a gestão de cultura em diferentes organizações e grupos. O primeiro deles, lançado em junho de 2016, é Música ao Lado – dirigido por Marcel Fracassi e Karina Fogaça –, que trata do universo das pequenas casas de shows em São Paulo. O terceiro, em fase de pré-produção, pretende retratar as relações entre arte e rua.

Território Coletivo
sexta 20 de outubro de 2017
às 20h
Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 224 lugares

Entrada gratuita

distribuição de ingressos
público preferencial: duas horas antes do espetáculo | com direito a um acompanhante – ingressos liberados apenas na presença do preferencial e do acompanhante
público não preferencial: uma hora antes do espetáculo | um ingresso por pessoa

[classificação indicativa: 12 anos]

Clique aqui para saber mais sobre a distribuição de ingressos.

Veja também
Highlight large vaz

Sérgio Vaz - Flip (2016)

Nesta playlist, o poeta, criador do Sarau da Cooperifa e produtor cultural Sérgio Vaz – que participou de atividades no Espaço Itaú...