A cantora, compositora e pesquisadora Jurema Paes explica como a obra de Elomar transita pela cultura e pela oralidade dos habitantes do sertão. Para ela, Elomar é uma espécie de tradutor de culturas, com habilidade de condensar o formal e o informal, o erudito e o popular, além de criar palavras com base nessas amálgamas. Ao final, canta um trecho de Fantasia Leiga para um Rio Seco (de Elomar), que gravou no álbum Mestiça (2014).

Depoimento gravado para a Ocupação Elomar, em junho de 2015, em São Paulo/SP.

A 25ª edição do programa Ocupação Itaú Cultural convida o público a adentrar um espaço de contemplação e deixar-se levar pelos encantamentos do sertão profundo. A mostra é gratuita e pode ser visitada de 18 de julho a 23 de agosto de 2015.

Créditos
Gerente do Núcleo de Comunicação e Relacionamento: Ana de Fátima Sousa
Coordenadores do Núcleo de Comunicação e Relacionamento: Carlos Costa e Jader Rosa
Entrevista: Maria Clara Silva Matos
Gerente do Núcleo de Audiovisual e Literatura: Claudiney Ferreira
Coordenadora de conteúdo audiovisual: Kety Fernandes
Produção audiovisual: Ana Paula Fiorotto e Camila Fink
Captação: Luiza Fagá e Ricardo Saito (terceirizado)
Edição: Luiza Fagá
Som: Gustavo Nascimento (terceirizado)