A Cátedra Olavo Setubal, durante 2017, teve como seu titular o arquiteto, designer gráfico e gestor cultural Ricardo Ohtake. Ele, em conjunto com o professor Martin Grossmann, ministrou um curso livre (em paralelo aos encontros tradicionais da cátedra). As reuniões à parte buscavam refletir sobre a importância de alguns dirigentes culturais, o papel de algumas instituições do ramo e a relevância das grandes exposições de artes visuais. Como resultado desse curso, foram elaborados artigos, que selecionamos e apresentamos a seguir.

“Além da contemplação: a gestão cultural de Walter Zanini”, por Diego de Kerchove

“Um turbilhão sublime: Mário de Andrade e o Departamento de Cultura de São Paulo”, por Eduardo Augusto Sena

“Susana Yamauchi: por uma formação contemporânea e interdisciplinar de dança”, de Josie Berezin

“O alto custo de promover arte militante”, por Priscila Machado Nunes

Veja também

O papel da universidade nas políticas culturais | Malu Arruda

Carmen Lúcia Rodrigues Arruda, conhecida como Malu Arruda, que integra a equipe de Ação Cultural da Coordenadoria de Desenvolvimento Cultural da Universidade Estadual de Campinas, comenta desafios para a criação de políticas culturais para as universidades em diálogo com as comunidades em que estão inseridas.

Encontros em outubro da Cátedra Olavo Setubal

Programação do curso Relações de Conhecimento entre Arte e Ciência: Gênero, Neocolonialismo e Espaço Sideral da Cátedra Olavo Setubal faz homenagens a Pagu, Luz del Fuego, Mário Pedrosa e Oswald de Andrade em outubro