Com o objetivo de movimentar a economia criativa de maneira rápida neste ano atípico, o Itaú Cultural (IC) lançou, entre abril e junho de 2020, a série Arte como Respiro: Múltiplos Editais de Emergência. No terceiro edital do programa, voltado para a produção de artes visuais, o IC selecionou 140 trabalhos na categoria Produção Artes Visuais e 60 na categoria Série Fotográfica – de um universo de 8.707 inscritos.

Veja também:
>>Leia entrevistas com alguns dos selecionados na categoria Série Fotográfica

Para reunir e celebrar essa ampla relação de projetos, distintos entre si no que diz respeito a temáticas, processos e métodos, o IC lança hoje o catálogo digital Festival Arte como Respiro. A publicação apresenta uma seleção editada com 60 projetos fotográficos e 94 obras de artes visuais.

Com curadoria do Núcleo de Artes Visuais do Itaú Cultural, o catálogo marca o encerramento do festival, evento apresentado durante os últimos meses aqui no site do IC.

Além da publicação digital, 45 vídeos e performances ganharam exibição em quatro mostras no portal e matérias tematizaram o olhar e a criação de 24 séries fotográficas selecionadas no edital.

Clique na imagem abaixo para acessar o catálogo Festival Arte como Respiro e conhecer os projetos:

Sobre as categorias do edital

A primeira categoria, Produção Artes Visuais, lançou algumas perguntas para refletir e trazer comentários sobre processos, assim como possibilitar diferentes perspectivas: Na limitação do confinamento, como os artistas continuam suas produções? O que estão produzindo neste momento histórico? Como o distanciamento social afeta o processo de produção da obra e/ou seu resultado?

A proposta não pedia – embora trouxesse essa opção também – para o artista produzir algo específico sobre o tema: as questões se colocavam no compartilhamento de impressões sobre as dinâmicas, as dificuldades e/ou as possibilidades da produção neste cenário de interação mais limitada.

Já para a categoria Série Fotográfica, a orientação girou em torno de uma pequena série de nove fotografias que dialogassem com o momento de distanciamento social, o que permitia trazer imagens de momentos pessoais, narrativas ficcionais e registros documentais, entre outras possibilidades.

A seleção de nove imagens para o conjunto a ser inscrito pedia do fotógrafo um exercício de edição. Com isso, cada foto trazia sua própria mensagem e também dialogava com os demais registros da série.

Saiba mais sobre o edital voltado para as artes visuais aqui.

Veja também