Classificação indicativa: Livre

Os Irmãos Aniceto*, o quarteto instrumental Marimbanda – formado por Heriberto Porto, Luizinho Duarte, Miqueias dos Santos e Thiago Almeida – e o músico Carlos Malta sobem juntos ao palco do Auditório Ibirapuera com o espetáculo Epifania Kariri, contemplado pelo Rumos Itaú Cultural 2017-2018. Na ocasião da apresentação, será lançado o DVD do projeto.

“O show traz um repertório de composições autorais da Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto, com arranjos inéditos, além de obras de Hermeto Pascoal e Dorival Caymmi, fazendo um encontro do tradicional com o jazz e com a improvisação, mas com uma visão mais contemporânea dessa música centenária”, explica Heriberto Porto, flautista da Marimbanda e professor do curso de música da Universidade Estadual do Ceará (Uece). “É um evento musical e histórico que conta com uma parte cênica e de dança muito fortes e vai possibilitar ao público a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre essa prática da nossa cultura.”

O projeto Epifania Kariri, selecionado pelo Rumos Itaú Cultural 2017-2018, foi idealizado por Heriberto Porto e pela produtora Rosina Torres com o objetivo de promover a interação de linguagens, a união dos artistas e o diálogo entre diversas vertentes da música brasileira, mostrando ainda a importância  das bandas de pífano (outra denominação para banda cabaçal, como a centenária dos Irmãos Aniceto), como patrimônio musical brasileiro. Segundo o flautista, o desejo da Marimbanda de tocar com os músicos vinha de muitos anos.

“A ideia do projeto é mostrar a música da Banda Cabaçal não só como uma coisa antiga, de folclore. Essas bandas são como ‘uma prova’ do lugar de onde vem essa nossa música ancestral.  Percebemos nelas a origem do choro, do samba e do baião, já que existe um núcleo comum dessas manifestações culturais – muito presente no Ceará, em Sergipe, em Pernambuco e na Bahia. Essa prática da flauta com a percussão, que veio da Idade Média e chegou ao Brasil via colonizadores, se misturou com a música dos índios e dos negros e resultou em algo maravilhoso”, explica Heriberto. “O Carlos Malta trabalha há mais de 20 anos com bandas de pífanos, tem um grupo [Pife Muderno] e é muito próximo dos Irmãos Aniceto. Também já tínhamos tocado juntos em outros shows. Os Irmãos Aniceto por sua vez  participaram de um documentário sobre pífanos no Brasil [Xingu Cariri Caruaru Carioca], em 2015. Então, foi muito fluido esse encontro na Epifania Kariri.

Heriberto acrescenta que, num primeiro momento, Marimbanda e Carlos Malta fizeram uma imersão com a banda dos irmãos Aniceto, durante uma semana, no Cariri, para preparar o espetáculo, experimentando arranjos e repertório. O resultado desse grande encontro foi a gravação do DVD Epifania Kariri – que aconteceu no Theatro José de Alencar, de Fortaleza (CE) –, que vai ser lançado no palco do Auditório Ibirapuera.

“A reação dos irmãos com o nosso convite foi de muita alegria”, conta o flautista. “Estamos valorizando esse patrimônio cultural brasileiro que muitas vezes fica restrito aos encontros de folclore, e dessa forma mostrando toda a sua riqueza cultural e musical a uma plateia mais ampla. E fazemos isso com uma visão mais contemporânea dessa música, desses pífanos modernos, porque eles são muito modernos”, fala. “Esse projeto nada mais é do que um encontro de grandes músicos que se juntaram para fazer música. Ter esses mestres como inspiração e tocando conosco é uma honra.

Irmãos Aniceto*
Cícero Pereira da Silva (pife)
José Vicente da Silva (pife)
José Adriano Pereira da Silva (zabumba)
José Joval dos Santos da Silva (pratos)
Cícero dos Santos Silva (caixa)  

Irmãos Aniceto, Marimbanda e Carlos Malta em Epifania Kariri  
domingo 11 de agosto de 2019
às 19h
[duração aproximada: 80 minutos]

ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada)

[livre para todos os públicos]

abertura da casa: 90 minutos antes do espetáculo

Os ingressos podem ser adquiridos pelo site Ingresso Rápido e em seus pontos de venda a partir das 13h do dia 26 de julho. Também estão à venda na bilheteria do Auditório Ibirapuera, nos seguintes horários:
sexta e sábado das 13h às 22h
domingo das 13h às 20h

Veja também

Arte para toda gente

No modo de ver dos gregos antigos, quando a arrogância dos soberanos leva à perda da capacidade d...