Por Ana Luiza Aguiar

O que acontece quando se leva um pajador gaúcho para visitar o berço de um repentista baiano? Esse foi o desafio que a produtora cultural Carla Joner propôs no projeto Tertúlia Visceral, aprovado pelo programa Rumos Itaú Cultural. Ela escolheu dois mestres da palavra cantada de regiões distintas do Brasil – o baiano Bule Bule e o gaúcho Pedro Ortaça – e promoveu um encontro lírico entre eles. O resultado foi um vinil que mistura música, poesia e história cantada.

A semente desse projeto nasceu há cinco anos, quando Carla foi curadora do projeto Visceral Brasil, que realizou minidocumentários sobre 13 mestres da cultura popular brasileira. A similaridade da história de vida e da arte produzida por Bule Bule e Ortaça – dois artistas contemporâneos com mais de 70 anos de idade, mas que nunca tinham se visto antes – chamou atenção da produtora, que decidiu reuni-los num palco.

Esse primeiro encontro aconteceu em Brasília, em 2017, e a empatia foi instantânea. “Eles se conheceram praticamente no palco. Mas se reconheceram imediatamente”, conta Carla. Foram dias intensos de shows e vivências em que os artistas apresentaram repertórios próprios com suas bandas, e apenas no final de cada show havia um momento de troca entre eles. Nessa hora, tambores, acordeons e cordas regionais conectaram o pajador gaúcho e o repentista baiano.

Os mestres Pedro Ortaça e Bule Bule (imagem: divulgação)

A identificação dos dois mestres foi além do artístico. “Surgiu uma genuína curiosidade pelo universo do outro”, explica a produtora. O reconhecimento artístico e de vida dos dois mestres foi tanto que Carla resolveu aprofundar a exploração artística desse encontro e daí surgiu a ideia de Tertúlia Visceral, projeto que promoveu a imersão cultural de cada um deles no universo do outro.

Em outubro de 2018, Bule Bule recebeu Pedro Ortaça durante cinco dias na sua cidade, Camaçari (BA), e lhe apresentou suas referências musicais, os locais que ativam suas memórias afetivas e suas inspirações poéticas. Um mês depois foi a vez de Ortaça mostrar a região das Missões (RS) ao mestre baiano.

O resultado dessas vivências é um vinil composto de faixas únicas (uma de cada lado) nas quais se misturam conversas dos dois mestres e brincadeiras entre eles, intercaladas por partes das músicas criadas em conjunto. Tudo costurado pelo produtor musical e DJ Sacha Amback. O disco terá edição limitada de mil exemplares, e a arte da capa foi feita por Ronaldo Fraga.

Histórico

Pedro Ortaça é cantor, compositor e violonista, natural da cidade de São Luiz Gonzaga, no Rio Grande do Sul. Sua música é marcada pela exaltação à cultura gaúcha, a suas tradições e seus representantes. Em mais de 50 anos de carreira, Ortaça gravou 13 discos – entre CDs e vinis de “larga duração”, brincadeira que faz por causa da longa duração característica de suas músicas – e um DVD.

Bule Bule é o nome artístico de Antônio Ribeiro da Conceição, poeta, repentista, músico e escritor baiano, natural de Camaçari. Sua arte, que inclui cordel e repente, é marcada pelo culto às tradições sertanejas e a sua ancestralidade de matriz africana. Bule Bule tem mais de cem cordéis publicados, oito discos e dois DVDs.

Veja também