De 2 a 28 de setembro, a segunda edição do Festival Arte como Respiro apresenta artistas selecionados pelos editais de emergência de artes cênicas, música e artes visuais. A programação da terceira semana do festival, que acontece on-line no site do Itaú Cultural, exibe espetáculos de peças e cenas teatrais, trabalhos infantis, de dança e do circo.

Uma temática em comum permeia a programação do dia 17 de setembro: a saudade. Assista às obras selecionadas nos links abaixo.

[os links serão disponibilizados nos respectivos horários]

Dez Dias (RJ)
Ana Luiza Fortes Carvalho

quinta 17 de setembro de 2020
às 20h
[duração aproximada: 11 minutos]
disponível até as 20h de 18 de setembro

[livre para todos os públicos]

Dez Dias é um projeto entre uma argentina chamada Sofía e uma brasileira chamada Ana. Um exercício diário de escritura a quatro mãos. A constatação de que um diário é necessário para que outra coisa aconteça. Una fuerza de arranque, segundo Sofía. Para Ana, um disparador. Dez dias para escrever um novo diário que se desdobra de diários já escritos. Dez dias para viver juntas através de palavras que significam muito ou que não significam nada. O projeto Dez Dias partiu de um desejo das artistas Ana Luiza Fortes e Sofía Brihet de compartilhar e reinventar seus diários no contexto da quarentena. A ideia é tornar este diário colaborativo um instrumento que ressignifique o momento atual, partindo da constatação de que o que estamos vivendo agora não pertence somente à esfera íntima, mas nos atravessa a todos. Dessa forma, um diário pessoal passa a ser algo coletivo, ressoando não só nas artistas que o escrevem, mas também em quem o lê.

Dez Dias (imagem: divulgação)

Cartas Adiadas (SP)
Sofia Ó e Juçara Amaral

quinta 17 de setembro de 2020
às 20h
[duração aproximada: 5 minutos]
disponível até as 20h de 18 de setembro

[livre para todos os públicos]

Sofia Ó e Juçara Amaral escreveram uma a outra cartas não enviadas: uma prática para atravessar distâncias que abriu as janelas para a invenção de uma dança. No dançar das histórias escritas em seus corpos de mãe e filha, descobriram os fragmentos que as aproximam. Segredos, ancestrais e memórias de tempos sem tempo. Uma carta dançada para o antes e o porvir que as habitam.

Confira o Instagram de Sofia Ó.

Cartas Adiadas (imagem: Sofia Ó)

A Última Carta (BA)
Dadiele Lima, Felipe Calicott e Gabriel Caldas

quinta 17 de setembro de 2020
às 20h
[duração aproximada: 5 minutos]
disponível até as 20h de 18 de setembro

[livre para todos os públicos]

A saudade é um sentimento que faz parte das relações cotidianas vividas por todos. Mas o que fazer quando ela não tem prazo nem possibilidade de se findar? A Última Carta revela a saudade de duas personagens imersas nesse importante sentimento e também é uma exposição das múltiplas faces da saudade. Há saudades que são passageiras e outras que são eternas.

Confira as redes sociais dos artistas Felipe Calicott, Dadiele Lima e Gabriel Caldas.

A Última Carta (imagem: Felipe Calicott)

Memórias em Improvisos (PR)
Cia. Mano a Mana

quinta 17 de setembro de 2020
às 20h
[duração aproximada: 37 minutos]
disponível até as 20h de 18 de setembro

[livre para todos os públicos]

Interpretada pelos irmãos Marcos Souza (músico) e Karina Souza (atriz, bailarina e cantora), a peça resgata lembranças do pai, músico e compositor Chico Mário, irmão do sociólogo Betinho e do cartunista Henfil. A direção do espetáculo é de Chico Pelúcio (Grupo Galpão). Um misto de movimentos, sons e interpretações, com elementos cênicos capazes de transmitir as mais sutis recordações. Assim é Memórias em Improvisos, peça estrelada pelos irmãos que formam a Cia. Mano a Mana e que conta com inúmeros improvisos, com uso de linguagens artísticas distintas, como música, dança, teatro, textos e gravações.

Confira o perfil da Cia. Mano a Mana no Instagram e no Facebook.

Memórias em Improvisos (imagem: Lincon Zarbietti)

Plano de Abandono | Minha Mãe É uma Semideusa
Mainá Santana e René Loui

quinta 17 de setembro de 2020
às 20h
[duração aproximada: 6 minutos]
disponível até as 20h de 18 de setembro

[livre para todos os públicos]

Fragmentos de dança que se reorganizam por meio do encontro a distância, cotidianos recortados por memórias e pela instabilidade, costurados com uma dose de humor por dois corpos negros. Primeiro episódio da websérie Plano de Abandono.

Conheça o Instagram de Mainá Santana e René Loui.

Plano de Abandono | Minha Mãe É uma Semideusa (imagem: Arthur Moura)

Acesse a programação completa do Festival Arte como Respiro.

Veja também

Projeto propõe troca de videocartas entre desconhecidos

Para Alguém que Está me Ouvindo – projeto selecionado pelo edital Arte como Respiro – propõe proximidade em tempos de distanciamento por meio de videocartas, abrindo brechas para um contato íntimo e pessoal entre performers e público