Classificação indicativa: Livre
 

Maria Firmina dos Reis, mulher negra pioneira como autora, precursora da literatura abolicionista e fundadora da literatura afro-brasileira, será o tema central da próxima Roda de leitura, que acontece no dia 29 de setembro, às 17 horas.

Nascida em São Luís, no Maranhão, em 1822, Maria Firmina se estabeleceu culturalmente em uma sociedade patriarcal e escravista brasileira, no século XIX, e surgiu, posteriormente, como um ícone de resistência. Entre suas lutas, foi a primeira mulher a ser aprovada como professora de primário em um concurso público no Maranhão, tendo, depois, criado a primeira escola mista para meninos e meninas na cidade de Guimarães (MA) – oito anos antes de a Lei Áurea ser assinada.

Veja também:
>> Matéria no nosso site marcou o centenário de morte de Maria Firmina dos Reis

>>Acesse o verbete de Maria Firmina dos Reis na Enciclopédia Itaú Cultural

Apesar de enfrentar obstáculos, críticas e silenciamento, ganhou notoriedade em seu tempo pela luta estabelecida. Entre suas obras mais conhecidas está o romance abolicionista Úrsula, publicado em 1860 – e republicado em 2018 pela Penguin e pela Companhia das Letras. Já na programação, o público terá contato com o conto A escrava, no qual se tem uma narradora-personagem mulher que conta, em um ambiente hostil de uma reunião social, seu enfrentamento a um senhor de escravos ao desafiar o sistema e proteger uma mulher escravizada e seu filho.

Reserve o seu ingresso para o encontro neste link ou no botão abaixo.

Roda de leitura – um dedo de prosa: Maria Firmina dos Reis [com interpretação em Libras]
quarta 29 de setembro de 2021
às 17h
[duração aproximada: 90 minutos]
on-line – plataforma Sympla/Zoom

[livre para todos os públicos]

Atividade gratuita

Reserve o seu ingresso [a partir de 15 de setembro, às 12h, até esgotar]

Saiba como acessar a transmissão via Sympla.

Veja também