No dia 24 de agosto, o cineasta e artista visual Isael Maxakali foi eleito o vencedor da edição de 2020 do PIPA Online – categoria decidida por voto popular do Prêmio PIPA, que destaca a produção de artistas contemporâneos brasileiros ligados a diferentes áreas de expressão. Indígena do povo Maxakali, Isael vive na aldeia Hãm Kutok, no município mineiro de Ladainha, e retrata o cotidiano e o universo simbólico de sua comunidade em trabalhos audiovisuais e desenhos, garantindo tanto o registro de sua cultura quanto a divulgação e a afirmação dela em meios não indígenas.

>> Saiba mais no site do prêmio.

Com o objetivo de dar visibilidade a artistas menos presentes no eixo Rio-São Paulo, e que não são representados por galerias de arte, o PIPA Online já contemplou outros três criadores indígenas: Jaider Esbell e Arissana Pataxó, em 2016, e Denilson Baniwa, em 2019.

A seguir, confira depoimentos dados por Isael e sua companheira Sueli Maxakali, também cineasta, em dois eventos promovidos em 2016 pelo Itaú Cultural: o Encontros de Cinema e o Mekukradjá – Círculo de Saberes, este último focado exclusivamente em realizadores indígenas.

Veja também

Ely Macuxi – Mekukradjá

O escritor e educador Ely Macuxi fala da relação entre a tecnologia e os povos indígenas, especialmente da internet, importante ferramenta para articulação das lutas dos povos originários