No último dia 11, a Associação de Designers Gráficos do Brasil publicou a lista de projetos selecionados para integrar a 13ª Bienal Brasileira de Design Gráfico, a mais tradicional mostra do que está sendo desenvolvido no setor tanto por brasileiros dentro e fora do país quanto por estrangeiros em território nacional. De um total de 1.282 trabalhos inscritos, 583 foram escolhidos para ser expostos no site e no catálogo impresso do evento, entre os quais estão dez criações realizadas pelo e/ou para o Itaú Cultural.

“O design produz as interfaces visíveis do trabalho gigantesco que é feito pelo instituto, então existe um compromisso funcional de passar essas informações de maneira clara e empática e, por outro lado, de tentar dar conta da dimensão poética dos projetos”, observa a designer gráfica Luciana Orvat, fundadora do Estúdio Claraboia – responsável por três dos trabalhos destacados – e consultora de design do Itaú Cultural.

Além de um catálogo de exposição e de três publicações associadas ao programa Ocupação, foram contemplados três projetos de design ambiental para espaços expositivos de mostras produzidas pelo instituto, duas de identidade visual e a nova marca do Itaú Cultural, adotada em outubro do ano passado.

Das especificidades das criações desenvolvidas para a instituição Luciana chama a atenção para o peso dado às questões de acessibilidade, físicas e sensoriais. “Ainda não alcançamos o que queremos, que todos os nossos produtos sejam 100% acessíveis, mas nunca vi um esforço semelhante para isso em outros lugares onde trabalhei”, afirma.

Designer gráfico do Itaú Cultural há mais de 30 anos, Yoshiharu Arakaki ainda enxerga em cada novo projeto uma oportunidade para adquirir novos conhecimentos e ressalta a importância do trabalho conjunto para a profissão e para as peças desenvolvidas. “A Bienal é a vitrine do trabalho de toda uma equipe. O design é a soma de vários profissionais e setores, e esse produto final representa todos esses profissionais”, ressalta.

Entre os projetos selecionados, os 50 que mais se destacarem por indicação dos jurados irão compor a mostra física da 13ª Bienal Brasileira de Design Gráfico, que será realizada no Museu Oscar Niemeyer (MON) em Curitiba, Paraná, de 30 de novembro a 16 de dezembro deste ano.

Conheça abaixo os trabalhos contemplados:

Identidade & Branding

Nova marca do Itaú Cultural (2018)
Autoria
Itaú Cultural e Itaú Design Time

Identidade visual para a exposição Ocupação Paulo Mendes da Rocha (2018)
Autoria
Estúdio Claraboia

Identidade visual para a exposição Véio: a Imaginação da Madeira (2018)
Autoria
Helga Vaz

Impressos editoriais

Catálogo da exposição Véio: a Imaginação da Madeira (2018)
Autoria
Helga Vaz

Publicação da exposição Ocupação Angel Vianna (2018)
Autoria
Guilherme Ferreira (Itaú Cultural)

Publicação da exposição Ocupação Nise da Silveira (2017)
Autoria
Luciana Orvat (Estúdio Claraboia)

Publicação da exposição Ocupação Paulo Mendes da Rocha (2018)
Autoria
Estúdio Claraboia

Espacial

Design ambiental para a Ocupação Ilê Aiyê (2018)
Autoria
Arthur Costa (Itaú Cultural), a partir de motivo de Jota Cunha e Mundão

Design ambiental para a exposição Ocupação Conceição Evaristo (2018)
Autoria
Equipe Itaú Cultural

Design ambiental para a exposição Ocupação Nise da Silveira (2017)
Autoria
Yoshiharu Arakaki (Itaú Cultural)

Veja também

Direto do Arquivo - A arte ecoativista de Frans Krajcberg

Em 1998, o Itaú Cultural promoveu o evento multidisciplinar Amazônicas, que contou com painéis fotográficos que mostravam as imagens de queimadas capturadas por Krajcberg e também com um conjunto de obras tridimensionais feitas de madeira retirada das queimadas da região