Neste episódio, Cida fala sobre a potência da poesia e da carreira na literatura caminhando com a militância política, entre outros assuntos. “Eu tenho um sentimento de que se as pessoas fossem alfabetizadas com poesia elas poderiam ter acesso crítico a qualquer texto científico e teórico. Porque acho que a literatura é o caminho para você conseguir subjetivar, para você conseguir entender para além do que está escrito nas linhas expressas, para você ter novas formas de pensar”, diz a escritora.

Cida Pedrosa nasceu em Bodocó (PE), em 1963. Poeta, advogada e política, estreou na literatura, aos 19 anos, com o livro de poesias Restos do fim (1982). Entre suas obras, destacam-se As filhas de Lillith (2009), Claranã (2015) e Solo para vialejo (2019), vencedor do Prêmio Jabuti nas categorias poesia e livro do ano.


Entrevista realizada em 2021 pelo jornalista Rogério Pereira.

ITAÚ CULTURAL


Presidente: Alfredo Setubal
Diretor: Eduardo Saron
Gerente do Núcleo de Audiovisual e Literatura: Claudiney Ferreira
Coordenadora do Núcleo de Audiovisual e Literatura: Kety Fernandes Nassar
Apresentação: Rogério Pereira
Produção audiovisual: Ana Paula Fiorotto
Estagiária: Beatriz Costa
Roteiro: Rosani Madeira (terceirizada)
Finalização de som: Cinemática Audiovisual (terceirizada)
Locução: Adriana Braga (terceirizada)
Trilha musical: “Sala de leitura”, de Tomás Franco

O Itaú Cultural integra a Fundação Itaú para Educação e Cultura. Saiba mais em fundacaoitau.org.br.
 

Veja também