“A literatura produziu isto em mim: um estranhamento para recuperar a intimidade das coisas. Ou seja, a literatura, de certa forma, me protegeu da claridade da clareza, me permitiu duvidar um pouco mais. Ficar um pouco mais nessa sala da penumbra.” Quem diz isso é Fabrício Carpinejar, escritor que aborda, neste episódio do Paiol Literário, outros assuntos como o ensino do ofício de escrever.

Entrevista realizada em 2008 pelo jornalista e escritor José Castello.  

Saiba mais sobre Fabrício Carpinejar na Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras.

No canal do YouTube do Itaú Cultural (IC):

Encontros de Interrogação, de 2004.

Obra Revelada, de 2013.

Ouça todos os episódios já disponíveis do podcast Paiol Literário aqui no site ou em aplicativos especializados, como o Spotify e o Apple Podcasts, no celular ou no computador – basta pesquisar o nome dos programas.

ITAÚ CULTURAL

Presidente: Alfredo Setubal
Diretor: Eduardo Saron
Gerente do Núcleo de Audiovisual e Literatura: Claudiney Ferreira
Coordenadora do Núcleo de Audiovisual e Literatura: Kety Fernandes Nassar
Apresentação: Rogério Pereira
Produção audiovisual: Ana Paula Fiorotto
Roteiro: Rosani Madeira (terceirizada)
Som: Tomás Franco (terceirizado)
Locução: Adriana Braga (terceirizada)
Trilha musical: “Sala de leitura”, de Tomás Franco

O Itaú Cultural, em 2019, passou a integrar a Fundação Itaú para Educação e Cultura, com o objetivo de garantir ainda mais perenidade e o legado de suas ações no mundo da cultura, ampliando e fortalecendo seu propósito de inspirar o poder criativo para a transformação das pessoas.

Fabrício Carpinejar | foto: Matheus Dias

 

Veja também

Ana Paula Maia - Paiol Literário

“Tudo na literatura é uma lente de aumento sobre as coisas. Quando se fala do amor, o amor extrapola. A literatura tem o poder de evocar e trazer um eco muito grande e poderoso”, diz Ana Paula Maia, em episódio do Paiol Literário